segunda-feira, 30 de maio de 2016

Docinhos mágicos


Sou daquelas que troca cinquenta bombons com ouro comestível, florzinha de pasta americana e corante por um cajuzinho. Gosto dos tradicionais, dos sabores simples e verdadeiros. Aqueles docinhos honestos, que não tem gosto de produtos industrializados, mas que traduzem carinho em forma de bolinhas.

Gosto também das mãos por trás deles. Pessoas que não deixam essas receitas se perderem, criam outras e valorizam o artesanal. Eis que surgem os Docinhos Mágicos da Lylli Paper, marca recém-lançada por uma querida amiga. Tudo é feito artesanalmente e com um cuidado extremo para alegrar sua alma. Já provei os seguintes sabores: brigadeiro de paçoca, canela, coockie de morango (que me deixou desmaiada de amor), óreo, e os docinhos de leite ninho, beijinho e, minha paixão maior da vida, cajuzinho. As opções são diversas e o preço bem camarada, viu?

A Lylli Paper também faz projetos customizados para diversos eventos como aniversário, casamento, chá de panela, batizado e outros. Eles cuidam da personalização de papelaria e outros mimos para deixar sua festa linda. #ficaadica

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Focaccia é vida!


Comida simples me faz tão feliz. Nada de sabores complexos, muitos ingredientes e técnicas mil são necessários para deixar aquilo divino. É o caso de hoje: focaccia. O tradicional pão italiano é uma paixão pessoal, puro, simples e regado a azeite. Preciso confessar que ter êxito com esse prato não foi nada simples... haha! Essa foi minha quarta – e melhor – tentativa. Cheguei bem perto do resultado que quero, mas ainda preciso aperfeiçoar. Descobri que o pulo do gato se chama braço, tem que ter disposição e muito amor para trabalhar a massa. Mas, garanto, vale à pena. Vamos à receitinha!

Ingredientes:
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água morna
3 colheres de azeite
10 gramas de fermento biológico seco
1 pitada de sal
1 pitada de açúcar

Modo de preparo:
Faça um vulcão com a farinha e salpique por cima o fermento, açúcar e sal. No meio, coloque o azeite e, aos poucos, a água. Vá agregando a farinha até formar uma bola de massa. Agora é a hora de ter disposição e amor, pois você precisa sovar a massa (delicadamente!) por cerca de 20 minutos. Quando a massa estiver bem lisinha, deixe descansar por 30 minutos. Abra em um tabuleiro, untado com azeite, deixando a massa mais grossinha, tipo 2 cm de altura. Afunde a massa com os dedos e coloque a cobertura que gostar. A tradicional é com sal grosso e alecrim. Nessa da foto, usei também tomatinho e cebola roxa. O que não pode faltar é uma generosa regada de azeite e uma pitada de sal grosso (eu usei flor de sal) em cima da massa. Deixe a massa descansar por mais 10 minutinhos e leve ao formo pré-aquecido a 200o. Asse por 30 minutos ou até dourar, dependendo do forno. Pronto, seja feliz! :)