domingo, 14 de dezembro de 2014

#eucomocultura


E quem não? Se pensarmos que tudo aquilo que consumimos tem uma história, dizer que gastronomia é cultura deveria ser considerado pleonasmo. Melhor seria estarmos usando essa figura de linguagem do que sonhando com o dia em que realmente a gastronomia seja reconhecida como cultura. Mas, podemos estar perto disso (uhulll!).

Alex Atala lançou recentemente o movimento #eucomocultura, com o objetivo de conseguir a aprovação do projeto de lei que visa reconhecer oficialmente a gastronomia brasileira como manifestação cultural. Esse reconhecimento é muito importante por diversos motivos, mas, na prática, influencia diretamente no incentivo a projetos que tratem desse assunto, como preservar ingredientes, fomentar pesquisas e publicações da área.

Muitos cozinheiros, artistas, jornalistas e amantes de cozinha já estão mostrando seu apoio nas redes sociais, divulgando o prato/receita/ingrediente que o representa. É super válido esse incentivo, mas é fundamental que todos assinem o projeto, pois é preciso 1 milhão de assinaturas. Participe desse movimento: eucomocultura.com.br

domingo, 7 de dezembro de 2014

Família Almeida Santos e os morangos perfeitos


Doces, grandes e encantadores são os morangos da Família Almeida Santos. Contada pelos irmãos Fábio e Gilberto, a história começou no Sítio Olhos D’água, na cidade mineira de Antônio Carlos, perto de Barbacena. Lá nasceu Dona Lúcia, mãe dos meninos. O lugar passou por gerações, mas quando os meninos ainda eram crianças, a família se mudou para São Paulo. Muita coisa aconteceu, mas Dona Lúcia manteve o sonho de retornar para o campo.

Até que um dia a família resolveu se render ao desejo de Dona Lúcia e a vida no campo voltava a ser uma realidade. Em 2011 passaram a investir no plantio de morango e Fábio e Gilberto se dedicaram a produzir com qualidade. E com essa dedicação criaram as calhas de isopor para o cultivo, o que gerou um fruto de qualidade, sabor e de encher os olhos.

Isso tudo é reflexo do carinho e respeito da família com a natureza. Nesse caso, os morangos não são apenas um produto comercial que gera o sustento de uma família, mas uma atividade que eles exercem com o coração e que mostra o sentido e importância da agricultura familiar.  

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Aquele bolo de laranja


Pensa em um bolo fofinho, caseiro e fácil de fazer. Desses que tem o dom de deixar a casa inteira com cheiro gostoso, a alma acalentada e o prato vazio rapidinho. Então, é esse aí!

Ingredientes da massa:
4 ovos
1 xícara de chá de óleo
1 e 1/2 xícara de chá de açúcar
3 laranjas
2  e 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó

Ingredientes da calda:
200 gramas de chocolate branco
1 xícara de chá de creme de leite

Modo de preparo:
Bater as claras em neve e reservar. No liquidificador, colocar as gemas, o óleo, o açúcar e as laranjas (tirar as casca, a parte branca e o miolo) e bater até ficar cremoso. Despejar em uma vasilha e misturar a farinha de trigo até ficar homogêneo. Adicionar delicadamente as claras em neve e o fermento em pó. Colocar em uma forma untada e enfarinhada e levar para o forno preaquecido até que esteja assado. Para a cobertura, misturar o chocolate branco e o creme de leite no fogo baixo até derreter. Despejar sobre o bolo frio e desenformado.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Sobre o JF Sabor 2014

Risoto de frango com quiabo do Poleiro de Galo - Foto emprestada da Fanpage

O JF Sabor 2014, festival de gastronomia de Juiz de Fora, terminou no dia 26 de outubro e no último dia 03 aconteceu o coquetel de encerramento para divulgação dos ganhadores. Já havia frequentado alguns estabelecimentos em outros anos durante o festival, mas esse ano estive mais presente e agora faço algumas considerações:
  • Sobre o tema: achei sensacional seguir a linha da gastronomia mineira. É uma tendência em todo o Estado e precisamos cada vez mais valorizar nossa cultura e ingredientes.
  • Sobre os estabelecimentos: percebi que a maioria estava bem envolvida com o evento, mas alguns nem pareciam fazer parte. Triste. E ponto para os que enxergam o evento não só como uma oportunidade comercial, mas também fundamental para valorização da gastronomia da cidade. 
  • Sobre o Deguste: é o principal evento dentro da programação, mas deixou a desejar. Não participaram todas as casas e não teve aquele clima gostoso de festival.
  • Sobre o vencedor: sem dúvidas o Garagem Gastrobar é a grande referência em Juiz de Fora e mais que merecido levar o prêmio de melhor prato e melhor sobremesa.
  • Sobre os que merecem destaque: alguns merecem uma atenção especial, como o Bolinho de arroz doce frito do Bendito Café e Restaurante, o Risoto de frango com quiabo do Poleiro do Galo, o Creme brulée de doce de leite do Brasador e a Galinha dos ovos de ouro do Santa Hora. Bons de verdade.
  • Sobre o público: não percebi um entusiasmo do público em participar do festival, acho que a organização precisa trabalhar melhor o envolvimento das pessoas.
  • Sobre o próximo: ansiosa para a próxima edição e na expectativa para que tenha mais peso, divulgação e engajamento de todas as partes: organização, público, estabelecimentos e poder público. 

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Bolinho de arroz doce frito


Imagine uma sobremesa que conforta a alma... Então, esse é o bolinho de arroz doce frito com calda de jabuticaba, prato do Bendito Café e Restaurante, em Juiz de Fora. O doce concorre na categoria sobremesa do 14º JF Sabor e chama atenção pela criatividade e sabor.

Ele vem sequinho, no tamanho ideal para morder e sentir o arroz doce cremoso e quentinho, que combina muito bem com a calda de jabuticaba. Achei a ideia sensacional e muito bem executada.

Devo confessar que em um dia de frio, assistindo filme, um balde desses bolinhos faria a alegria lá em casa...

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Cerveja, sanduíche e amor #casadinhos


Tem dias que chego em casa cheia de inspiração para cozinhar para o maridinho – quase sempre. E nesse dia, em especial, tinha comprado algumas cervejas artesanais para acompanhar nossa noite, o que é uma paixão do casal. Destaque para a artesanal Backer Trigo, que é uma das nossas favoritas e sempre fazemos questão de incluir em nossos cardápios.

Cerveja gelando e cabeça pensando. Tinha um ciabatta redondinho convidando para um sanduíche. Tinha patinho moído, cebola bem batidinha, sal e pimenta do reino virando hambúrguer caseiro. Tinha ovo, azeite, alho e noz moscada obrigando a fazer uma maionese fresquinha. Tinha alface e tomate amenizando a consciência. Tinha queijo querendo se derreter. Tinha batata doce pedindo para virar chips bem crocante.

Tinha um sanduíche lindo, cerveja gelada, vitrola tocando Elis – linda – Regina, tinha marido feliz e muito amor!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Village Gril no JF Sabor 2014


JF Sabor 2014 rolando em Juiz de Fora e eu começo a saga de experimentações. Com o tema gastronomia mineira: da tradicional à contemporânea, 49 estabelecimentos da cidade criaram seus pratos e estão na disputa. Quando vi o material das casas muitas chamaram atenção por suas criações, outras nem tanto, já que não exploraram o tema como poderiam – ou deveriam, mas não sei as regras para entrar no concurso.

Degustei algumas coisas no dia do lançamento, mas, somente agora, comecei a visitar os lugares com esse intuito, atenta a todo o conjunto da obra. O primeiro foi o bar e restaurante Village Grill, que tinha tudo para ser perfeito, já que seu prato é uma costela de porco com molho caipira e farofa de bacon com couve. Pena que não foi o esperado. A costela estava pesando no sal e o molho não dava para identificar o que era, muito insosso. A esperança estava na farofa, que deixou a desejar pela quantidade de oleosidade, encharcada de gordura.

Já fui à casa em outras ocasiões e sempre fiquei muito satisfeita. Prefiro pensar que esse foi um dia ruim, mas em tempos de festival isso entristece ainda mais. Ah, teve uma coisa boa nessa história toda: o atendimento, com garçons preocupados em atender bem. E a saga continua...

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Pablo Oazen no Santa Mesa

Crédito da foto: Pedro Salgado
No último sábado, dia 13, o chef Pablo Oazen, do Garagem Gastrobar, comandou as panelas no Santa Cruz Shopping. Em meio a galerias montamos uma estrutura para levar uma pitada da gastronomia mineira para nossos clientes. Essa ação faz parte do Santa Mesa, festival que está rolando no shopping em parceria com o JF Sabor 2014.

Nem preciso falar que sou fã do trabalho desse cozinheiro, acompanho seus feitos há algum tempo e ele fez parte do time que representou Minas Gerais no Madrid Fusion de 2013. Ele estava acompanhando de sua trupe Bruna Cantarino, Igor Souza e José Henrique Gordone. Uma turma animada e que cozinha com dedicação e alegria o tempo todo.

Sobre o evento, foi bacana perceber o interesse e descoberta no olhar curioso de cada pessoa que se aproximava. Tudo montado, ingredientes na panela e aí a conquista ficou por conta do perfume que tomou conta dos corredores. O público começou a perguntar, cochichar, ir e voltar, até que a hora de servir estava próxima e ninguém mais saiu de perto.

Paella, o que é isso? Você usou açafrão? Isso é mexido? É de graça? Me dá a receita? As perguntas que foram surgindo não mostrou apenas a interação com os clientes do shopping, mas, principalmente, que é essencial levarmos a gastronomia para todos os tipos de público. E, no meio dessa festa - foi isso que o evento se tornou - o chef falou algo que me marcou: “A melhor forma de valorizar a gastronomia é levá-la ao público grande, de massa”.

Essa mensagem e mais 500 pessoas degustando a Paella Mineira resultaram em um dia de missão cumprida e euzinha feliz da vida.  

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Santa Mesa


Impossível me separar da gastronomia. Faz parte da minha vida e sempre dou um jeitinho de encaixá-la em todos os trabalhos. Estou há três meses no marketing do Santa Cruz Shopping e hoje começa o Santa Mesa, um festival gastronômico que acontece paralelo ao JF Sabor. O objetivo é atrelar nossa marca a um evento de renome como o JF Sabor, e, também, aproximar nosso público da melhor forma possível: gastronomia. Imaginem só a animação dessa pessoa aqui!

O tema do Santa Mesa segue a mesma linha do JF Sabor: gastronomia mineira, da tradicional à contemporânea. Oh assunto bom... Os estabelecimentos do shopping elaboraram pratos especiais com esse tema e estão de babar. Outra atração que promete é o Cozinha Show, que acontece no shopping com a presença de renomados chefs. Serão três sábados com a presença dos chefs Pablo Oazen preparando uma Paella Mineira (13/09), chef Mateus Abdo com o prato Polentinha (20/09) e o chef Caíque Fonseca preparando o Rizotin Mineiro (27/09).

Além disso, terão muitas outras novidades que vou contando aos poucos por motivo de: hoje é o primeiro dia de evento e isso aqui está uma loucura, aquela correria que dá gosto!

domingo, 31 de agosto de 2014

Poleiro do Galo

Foto emprestada da Fanpage, já que a porção foi
 devorada e não tivemos tempo para o registro.
Dia desses fui com a família no Poleiro do Galo – que eu cismo de chamar de Poleiro do Gato, apesar de saber que gato não fica em poleiro, rs! – para um almoço de domingo. Já tinha passado por lá antes, mas para visitas rápidas e não dei atenção aos detalhes. Dessa vez não foi diferente, estava tomada pelos papos e a intenção não era analisar o estabelecimento. Contudo, os detalhes tomaram conta de mim.

Começando pelo atendimento exemplar com garçons atenciosos sem serem chatos, sabendo informar direitinho o cardápio da casa e trabalhando em um clima descontraído, com sorriso no rosto. E por falar em cardápio, tudo que nossa mesa pediu estava maravilhoso. Desde um prato feito até as porções maiores. Para mim, o destaque foi a porção Dupla Dinâmica com polenta frita e isca de frango. Polenta frita é uma coisa que já ganha meu coração de cara, não tem erro. E o frango estava com um empanado perfeito, sequinho e saboroso. Se não bastasse tudo bem gostoso a conta não decepcionou, bem honesta. Voltarei!

Ah, só uma observação negativa, o Wi-fi da casa não está rolando. Todas as vezes que estive lá o cadastro para acesso não funcionou e não consegui usar a internet. 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Bolo de amendoim


Nada melhor do que comemorar aniversário. Eu amo essa data, faço contagem regressiva e bolo para celebrar. E esse ano, de casa nova, não seria diferente. Recebi alguns amigos em casa para cantar parabéns para os aniversariantes do mês de agosto da nossa turma. Somos três agostinhos e apaixonados por amendoim, daí a inspiração para a receitinha de hoje.

Ingredientes

Massa:
2 ovos
2 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de café de fermento químico

Recheio:
200 gramas de amendoim torrado, sem pele e triturado
400 gramas de doce de leite

Cobertura:
200 gramas de doce de leite
1 xícara de açúcar cristal
50 gramas de amendoim torrado, sem pele e triturado

Modo de preparo:

Massa: Bater as gemas com o açúcar até formar um creme embranquecido. Adicionar a água e a farinha de trigo e bater mais um pouco. Misturar delicadamente as claras em neve e o fermento químico. Colocar em uma assadeira untada e enfarinhada e levar ao forno preaquecido até assar. Fazer três discos de massa.

Recheio: Misturar o doce de leite com o amendoim e levar à geladeira para firmar.

Cobertura: Preparar um crocante de amendoim para a cobertura. Derreter o açúcar até caramelizar e adicionar o amendoim. Despejar em uma superfície untada e esperar esfriar. Quebrar o crocante em pedaços pequenos.

Montagem: Colocar um disco de massa e a metade do recheio e, novamente, outro disco de massa e o restante do recheio. Colocar o último disco de massa e despejar o doce de leite. Colocar os crocantes de amendoim e levar à geladeira antes de servir. 

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Doces de verdade

Já falei algumas vezes que não gosto de bolo com pasta americana, bombom com enfeite maior que ele próprio e outros adereços para doces que podem ser bonitos, mas que não agrada ao paladar. No meu casamento fiz questão de doces bem saborosos e, de certa forma, nostálgicos. Foi um sucesso, os convidados amaram e eu já estou com saudades.

Suspiro, ai ai.
Quindim, paixão dos noivos.
Tortinhas de limão.
Brigadeiros de vários tipos (desculpa aê Jamie Oliver). 
Amor aos pedaços e inteiro.
Olho de sogra, mas não da minha.
E a estrela maior depois da noiva, o bolo. 

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Receita de pudim


Esse fim de semana foi daqueles com família reunida, muitas risadas e, claro, cozinha. Mesmo antes de encontrar com minha irmã ela já havia mandando recado com um pedido especial e praticamente obrigatório lá em casa: pudim. Em meio a tantas programações arrumei um tempinho para preparar o doce e fiz uma receita simples, rápida e deliciosa. Essa sobremesa é uma das mais unânimes que conheço. E se tem uma coisa linda na vida é virar a forma e ver aquele caramelo dourado escorrendo sobre o pudim, todo lindão!

Ingredientes:
2 latas de leite condensado
500 ml de creme de leite fresco
4 ovos (eu usei caipira e meu pudim ficou amarelinho!)
1 ½ xícara de açúcar cristal
½ xícara de água

Modo de preparo:
Bater no liquidificador o leite condensado, o creme de leite fresco e os ovos. Caramelizar a forma com a calda de açúcar e água e despejar o creme do pudim. Levar para assar em banho maria por 40 minutos ou até enfiar uma faca e ela sair limpinha. Esperar o pudim enfriar para virar a forma.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Receita de quiche #casadinhos


Sempre gostei de me aventurar na cozinha. Imaginem agora que estou casada, com uma cozinha só para mim e um maridinho para paparicar. Por isso, as receitas que fizer no apê novo irão sempre aparecer com a hashtag #casadinhos. Assim, logo de cara já saberão quanto amor tem nessa receita e irão correndo para o fogão preparar uma comidinha especial para as pessoas que amam (hoje estou romântica demais!). Então, anotem essa prática receita de quiche, que serve para um lanche, jantar e até um almocinho. Além disso, o recheio pode ser tudo aquilo que vier à imaginação, é só manter a base de queijo e ovos e ir brincando com as opções. A minha foi assim:

Quiche de aboborinha, ricota e lombinho canadense

Ingredientes da massa:
3 xícaras de farinho de trigo
2 ovos
100 gramas de manteiga
1 pitada de sal
Água até o ponto
Ingredientes do recheio:
3 ovos
200 gramas de ricota
1 abobrinha média
1 cebola roxa
150 gramas de lombinho canadense
2 colheres de azeite
Sal e pimenta do reino à gosto

Modo de preparo:
Massa: Tirar a manteiga da geladeira 15 minutos antes de preparar a massa. Em um recipiente colocar a farinha de trigo, o sal, os ovos ligeiramente batidos e a manteiga. Misturar com as pontas dos dedos até formar uma farofa. Adicionar aos poucos a água até dar o ponto de uma massa homogênea e que desgrude das mãos. Colocar a massa em um saco plástico e levar à geladeira por 15 minutos.
Recheio: Refogar a cebola fatiada com a abobrinha também picada no azeite, até amolecer. Retirar do fogo e deixar esfriar. Bater os ovos com a ricota no liquidificador. Misturar a abobrinha refogada com a cebola, a mistura de ovos e ricota, o lombinho canadense picado e acertar o sal e pimenta do reino a gosto.
Montagem: Abrir a massa em uma forma antiaderente, cobrindo o fundo e a lateral. Distribuir o recheio e levar ao forno preaquecido a 200º até dourar a massa e o recheio. 

terça-feira, 22 de julho de 2014

Cachaça é amor


Sempre fui fascinada por cachaças. Não muito pelo sabor delas, confesso, pois ainda estou aprendendo a apreciar. Meu fascínio vai muito além. Gosto da história, do ritual e da cultura que a branquinha representa. Amo visitar alambiques e cachaçarias com aquele perfume de cana fresquinha no ar. Adoro também os causos que sempre surgem em sua companhia. Enfim, a admiração é tanta que tenho uma coleção “a meia” com meu pai: vou adquirindo as garrafas por onde passo e ele fica responsável em guardar e experimentar cada uma. Desde que começamos percebo que nós dois mudamos, a cada novo rótulo, nossa relação com a cachaça. Estou me rendendo mais e ele apurando o paladar.

E dentro desse contexto, preciso falar de uma em especial, a Cachaça do Pontal, de Pirapora. Ano passado estive por lá para fazer uma matéria e conheci tim tim por tim tim da produção. Fiquei encantada com o trabalho sério e apaixonado do casal Carlos e Alessandra. É um brilho nos olhos, uma satisfação pelo que fazem que você se rende rapidinho a todo o clima na cachaçaria. E dessa visita nasceram parcerias, amizades, troca de conhecimento e muito carinho. O exemplo melhor foi a presença deles - representados pelas cachaças Pontal Clássica, Ponta Ouro e Pontal Chérie – em meu casamento. Além de me sentir honrada com esse presente, meus convidados simplesmente amaram as cachaças. Agora a Pontal faz parte, oficialmente, da minha história. 

domingo, 20 de julho de 2014

Churrasqueira, chopp artesanal e croquete de linguiça


Hoje irei falar de uma das principais casas de Juiz de Fora, a Churrasqueira, um restaurante com jeito de bar e vice versa. Recentemente fiz uma visita ao lugar e experimentei duas coisas novas. Primeiro o chopp de fabricação própria e artesanal, Antuérpia. Eles possuem quatro tipos: pilsen, premium, black e trigo. Claro que eu e o marido fomos direto ao de trigo, nosso preferido. Eu normalmente não sou muito fã de chopp, prefiro a cerveja em seu estado natural, mas até que simpatizei com o deles. E ficamos feliz por perceber que Juiz de Fora tem crescido, cada vez mais, na produção de cervejas artesanais.

Para acompanhar, veio a segunda experimentação, o croquete de linguiça. Bati o olho no cardápio e já sabia meu pedido, coisa muito, mas muito difícil de acontecer. Escolha certa! Muito saboroso, sequinho e com um delicioso molhinho de mostarda de Dijon. O único problema foi a quantidade, porção com poucas unidades não é porção, né? Eu queria dar um conselho a todos os estabelecimentos: caprichem na porção, mesmo que o valor fique um pouco mais alto, pois é muito chato estar com amigos e não ter para todos experimentarem. Mas, isso não tirou o mérito da visita. Na próxima iremos pedir duas porções!

domingo, 6 de julho de 2014

Garagem Gastrobar


Mesmo que um pouquinho atrasada não posso deixar de falar sobre minha visita ao Garagem Gastrobar, em Juiz de Fora. Desde que cheguei à cidade estava louca para conhecer o lugar, que é comandado pelo chef Pablo Oazen. Sempre acompanhei o trabalho do Pablo e já admirava a postura, conceito e carreira, mas a comida, essa merece agora uma admiração à parte. Esperava uma experiência boa no Garagem, mas foi muito além da minha expectativa e agora ele está no topo dos meus preferidos.

O lugar é aconchegante, serviço simpático e a comida sensacional. No dia da visita era menu degustação para o Dia dos Namorados e a noite já era especial por esse motivo, já que meu maridinho fez as reservas surpresa e só sabia que íamos lá quando chegamos na porta. Sobre a comida, tudo perfeito do começo ao fim, mas quem ganhou o jantar foi a polenta servida diretamente pelo chef à mesa. Combinada com queijos, farofinha de pão e castanhas, o prato certamente era o mais simples do menu e, por isso mesmo, o mais gostoso.

E no final a conta ficou tipo uns R$ 90,00, para cada, com as bebidas. Valor muito justo. Para quem estava acostumado com os valores de BH, encontrar um restaurante desse nível com preço bem acessível é coisa linda de viver. Já estamos programando a próxima visita!

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Receita creme de queijo


Inverno chegou, o tempo esfriou e creme de queijo esquentou. A rima é fraca, mas a receita é boa para esquentar esses dias frios. Prática, saborosa e cheia de calor. Anota aí!

Ingredientes:
60 gramas de manteiga
60 gramas de farinha de trigo
1 litro de leite
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
Noz moscada a gosto
200 gramas de queijo parmesão
200 gramas de queijo gorgonzola
200 gramas de queijo emmental
1 xícara de creme de leite
300 gramas de bacon

Modo de preparo:
Derreter a manteiga e adicionar a farinha de trigo, cozinhando por cerca de uns dois minutos. Adicionar aos poucos o leite e mexer com um fouet até ficar cremoso. Deixar cozinhar um pouco e acrescentar os queijos já ralados. Depois de derretidos os queijos, acrescentar o creme de leite. Temperar no final, pois o queijo já tem sal, então é só corrigir. Separadamente fritar o bacon em cubinhos para servir em cima do creme. Algumas torradinhas acompanham bem.

sábado, 14 de junho de 2014

Sorveteria Bom Clima


Apaixonada por sorvetes como sou, estava sentindo uma falta danada das minhas preferidas de Belo Horizonte, Easy Ice e Inventiva Sorvetes. E quando já estava entrando em crise de abstinência dos bons sabores gelados conheci a Sorveteria Bom Clima em Juiz de Fora. Parecia uma criança com os olhinhos brilhando diante dos potes com jeito de sorvete de verdade. Comecei a experimentar na pazinha e foi difícil escolher qual iria degustar.

Me rendi ao de chocolate com amêndoas, mousse de maracujá, doce de leite e quindim. Ah, o de quindim... Minha vontade agora é viver desse sorvete, muito bom mesmo. É como colocar uma colherada de quindim cremoso e bem geladinho na boca. Bom Clima já se tornou visita semanal.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Marmita doce


As marmitinhas há algum tempo já fazem parte da gastronomia como utensílio para servir e presentear. Eu adoro dar presentes para pessoas queridas com guloseimas e já fiz algumas versões de marmitas recheadas com doces. Brigadeiro, quindim, pé de moleque, palha italiana, amor aos pedaços, brownie e essa última da foto, com cocada na versão comum e com cobertura de chocolate.

Os paninhos amarrados dão o charme final, ainda mais quando se trata de um xadrez, poá ou chitão. O encanto começa já na apresentação e quando a pessoa abre é a hora de adoçar a vida de uma forma bem gostosa. Tem coisa melhor do que proporcionar um momento de prazer assim para quem você ama? Para mim, não.

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Dica rápida


Outro dia estava viajando e em uma parada dessas de estrada a fome bateu. A lanchonete não tinha nada apetitoso e não tive coragem de encarar. Passei por uma prateleira e esse mix da Jasmine me chamou atenção. Que surpresa boa! É um saquinho com vários tipos de sementes, castanhas e frutas secas. Bem gostoso, levinho e sustenta.

Obs.: A foto não está muito boa porque tirei com o carro em movimento. 

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Bar do Abílio


Com pouco tempo morando em Juiz de Fora já tenho uma longa lista de lugares para visitar. A cidade está me deixando com água na boca com tantos estabelecimentos interessantes. E não falo apenas de lugares novos, inaugurados durante os anos que estive fora, mas também daqueles antigos que nunca tive a oportunidade de conhecer.

Um que estava no topo da lista era o Bar do Abílio, um boteco cheio de tradição e simpatia. Fiz uma rápida visita esses dias, daquelas de tomar cerveja em pé na porta do bar e devorar uma porção de lambari frito em poucos minutos. E preciso dizer que o bar não precisa de muito tempo para te conquistar. Já na chegada o time de garçons te recebe com aquela alegria e um copo lagoinha na mão. Depois disso é só se deixar levar pela prosa boa, o clima gostoso e aquele cheiro de cebola na chapa.

Foi uma breve visita, foi paixão à primeira vista e foi o convite ideal para voltar e ir ficando, sem ter hora para ir embora. 

Visite: Rua Fonseca Hermes, 180, Centro, (32)3215-6216.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Assa peixe em Sabará


No final de novembro do ano passado estive em Sabará, bem pertinho da capital mineira, para participar do 27º Festival da Jabuticaba. Na época estava em uma correria e acabei não falando uma linha sobre o assunto aqui no blog. E agora vasculhando alguns arquivos achei um material bacana, receitas e dicas que vale contar para vocês. Além de servir de inspiração para participar do próximo festival, a cidade merece ser visitada sempre, pois os produtores artesanais, restaurantes e cozinheiros estão preparados para receber o ano todo.

Para começar, preciso contar a minha maior surpresa por lá, o assa peixe frito. É feito pelo cozinheiro Manoel Ferreira, que trabalha no restaurante do Parque Quinta dos Cristais. Ele conta que aprendeu a cozinhar com a mãe, que o ensinou não só o ofício, mas também o prazer em degustar e identificar os sabores presentes em cada garfada.

Para quem não conhece (assim como eu não conhecia), o assa peixe é uma urtiga, muito usada como planta medicinal. Mas nas mãos de Manoel, a história é outra. Ele prepara a iguaria fritinha, bem crocante e surpreendentemente uma das coisas mais gostosas que já experimentei. Ficou curioso? Então, anote a receita e comece a perguntar a vizinha se ela tem a planta no quintal, já que não é algo que se encontra para comprar no mercado.

Assa peixe frito

Ingredientes:
Folhas de assa peixe
4 ovos
1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1 pitada de pimenta do reino ou pimenta calabresa
2 dentes de alho
Sal a gosto
500 ml de óleo

Modo de preparo:
Bater os ovos e misturar o alho picadinho, o sal, a pimenta e o queijo ralado. Misturar até ficar homogêneo e adicionar a farinha de trigo peneirada até formar uma massa. Lavar e secar as folhas de assa peixe e passar na mistura para empanar. Fritar em óleo quente até dourar. Servir ainda quente!

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Bom te ver

Foto: Fan page Bom te ver
Estou morando em Juiz de Fora a poucas semanas e já tenho vários assuntos para falar no blog. A cidade está tão mudada e movimentada que, em alguns momentos, nem se parece com aquela que deixei há cinco anos. Interessante que isso está me fazendo refletir sobre o potencial da transformação gastronômica nos lugares. E com tantos novos para conhecer, me apareceu o Bom te ver, um bar e restaurante bem gostoso.

O objetivo da visita era experimentar o rodízio de comida japonesa, o que já me deixa um pouco resistente por não gostar muito desse sistema, mas, felizmente, não era bem assim. Você paga um valor único (R$ 48,00) e escolhe seus pedidos, sem garçons te empurrando comida o tempo todo. Sobre a comida, devo confessar que me surpreendi com a qualidade, em especial do peixe fresco e bem manipulado.

Contudo, o atendimento merece uma atenção do proprietário. Dois únicos garçons para dar conta do restaurante inteiro é impraticável. Além dos pedidos demorarem muito, a cara de poucos amigos dos funcionários (com razão, pois deveriam estar enlouquecidos!) estava de dar dó.

O cardápio teve alguns furos na hora de fazer o pedido, em especial a carta de vinhos. Fiquei toda feliz, pois tinham vários rótulos que me agradava. Pedi o vinho A, mas não tinha. Pedi o vinho B, também não tinha. Pedi o vinho C, da uva X, mas não tinha. Então perguntei o que eles tinham e me trouxeram o vinho C, da uva Y. Lá se foram duas garrafas e quando fomos pedir a terceira garrafa já não tinha mais o mesmo vinho, só tinha o vinho B. Aquele que tinha pedido no começo da conversa e me informaram que estava em falta. Complicado!

Enfim, o lugar tem um visual bacana, tanto na decoração da casa quanto em sua localização, comida de qualidade e sobre o atendimento prefiro acreditar que naquele dia os outros funcionários estavam de cama e não puderam comparecer. Assim, na próxima visita tudo estará funcionando perfeitamente. Ah, faltou falar que estava rolando uma bandinha boa de ouvir, mais um ponto para eles. 

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Guloseimas para TPM


Depois de um breve período sem dar as caras por aqui estou de volta e não poderia ser por um motivo melhor: TPM. É sério, esse é o motivo de escrever hoje. Pensa em um mês tumultuado, com mudança para outra cidade (salve Juiz de Fora!), adaptação ao novo mercado de trabalho e, claro, com o casamento se aproximando e os preparativos a mil por hora. A TPM desse mês bem que podia ser calma, serena e ligeira, mas assim não seria TPM.

Aí vocês devem estar se perguntando como esse assunto se encaixaria no blog e a resposta é a seguinte: pipoca, batata frita, brigadeiro, sorvete, biscoitos, guloseimas e muito chocolate. É incrível como a gente fica enlouquecida para comer todas essas porcarias e, se bobear, ainda arrisca a fazer uma farra gastronômica e come tudo de uma só vez. É assim que estou me sentindo hoje, com vontade de tudo isso ou simplesmente dessa beleza de banana split aí em cima. Por isso, vim desabafar e dizer a todas que vivem esse momento que a culpa é da TPM, então vamos todas enfiar o pé na jaca e aproveitar os açucares e carboidratos da vida!

Ah, para constar, essa sobremesa da foto é da Alessa Gelato& Caffè, em Belo Horizonte, onde tem várias outras perdições para os dias de TPM.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Festa de criança


Festa de criança agora é cheia de novidades e pasta americana. Docinhos viraram personagens de desenho e deixam a gente com saudade de cajuzinho, docinho de leite ninho, beijinho e, claro, do tradicional brigadeiro. Esse último até aparece, mas agora em novos formatos, como bisnaga, potinho, colher e tantos outros. 

As comidas são as mais diferentes possíveis e deixam a gente com aquela vontade de devorar um tradicional cachorro quente. O bolo, ah o bolo, é uma peça decorativa, bonita, mas de mentira. Na minha época até existia bolo falso, mas você tirava a tampa dele e encontrava aquele maravilhoso emaranhado de pedaços de bolo embrulhados no papel alumínio. Sem falar nos deliciosos bolos com glacê de verdade e, claro, o divertido bolo nega maluca, com direito a nariz de jujuba. 

Ah que saudade! Nada contra as ‘mudernidade’, mas vamos, pelo menos, manter um pouco dessa história, que certamente é o que mais agrada a criançada e os nostálgicos adultos.