segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Entrevistando: Alessandra Blanco


O Feito com Pimenta surgiu do prazer em escrever somado à paixão pela cozinha. Além disso, da admiração e leitura de outros blogs, que são referência para mim. Um desses é o Comidinhas, assinado por Alessandra Blanco, que cedeu cinco minutinhos de seu concorrido tempo para responder essas perguntas. 
Como começou sua história com a gastronomia, de onde surgiu esse interesse?
Sempre gostei de ler revistas de gastronomia e pensava em escrever sobre o assunto um dia. Quando apareceram as ferramentas de blog, logo em seguida, fiz uma viagem pela Costa Amalfitana, na Itália, fiquei encantada com a comida e resolvi começar a escrever o blog.

Há quanto tempo atua com o blog?
Vai fazer 5 anos.

Como é a Alessandra escritora?
Eu sou jornalista, sempre gostei de escrever. Mas com a gastronomia me identifiquei totalmente, pude me soltar mais, escrever em primeira pessoa, contar mais histórias.

Como é seu trabalho atualmente?
Trabalho como editora executiva do iG, cuido de todo o conteúdo feminino, saúde, turismo, jovem, gastronomia, arquitetura, decoração, luxo, beleza, comportamento, amor e sexo. Escrevo reportagens de gastronomia para a Vogue, Vogue Homem e RG Vogue, dou aulas de jornalismo gastronômico na Faap e vou começar um programa de culinária na Fox Life.

Como jornalista, o que acha da relação mídia e gastronomia?
Acho que cada vez mais temos cadernos de gastronomia em jornais tradicionais, cada vez mais revistas dedicadas ao assunto, sites e blogs. Acho que vivemos um ótimo momento.

O que acha das mudanças na gastronomia, o que podemos esperar no futuro?
Acho que estamos terminando o ciclo do que foi chamado gastronomia molecular, com espumas, esferificações e muita tecnologia. E acredito que vamos cada vez mais entrar na gastronomia consciente: orgânicos, produtos locais, valorização de pequenos produtores, qualidade, etc.

O que mais admira em um prato?
O sabor.

Você se garante na cozinha?
Opa, super.

Qual feito mais se orgulha?
Meus pães.

O que gosta de comer?
De tudo, muito mais comida de mãe.

O que não come de jeito algum?
Outro dia vi na TV uma garota comendo olho de cabra. Acho que isso eu não encaro não.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Pimenta nos olhos


Da fotógrafa especializada em produções culinárias, Luna Garcia, que selecionou essas imagens especialmente para brindar os 2 anos do Feito com Pimenta.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Lápis de cozinha

Quem não quer um lápis desses para brincar na cozinha?


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Cozinhando com prazer


Quando larguei toda uma vida profissional para ir para cozinha, fui alvo de muitas críticas. Muitos achavam que eu estava sendo louco e que não deveria transformar meu hobby em carreira. Já outros me apoiavam e diziam que eu deveria correr atrás do meu sonho.

Quase dois anos se passaram e até hoje, muitos conhecidos me perguntam se valeu a pena ou se eu me arrependo. Não me arrependo e acredito que já valeu e ainda vai valer muito a pena.

Trabalhar com gastronomia é uma atividade extremamente gratificante. Sabe por quê? Trabalhamos para fazer as pessoas felizes! È muito lindo ver a reação de um cliente quando um prato nosso chega à sua mesa, os olhos brilham, ele comenta com o seu companheiro ao lado: “Nossa, deve estar uma delícia!” e a reação da pessoa quando dá a primeira garfada no prato? Sem comentários. É muito bom!

As pessoas vão ao restaurante, para celebrar uma data especial, para conquistar, às vezes para impressionar, ninguém (na maioria das vezes) está ali obrigado e, isto, torna o nosso serviço muito mais fácil e prazeroso. Queremos servir uma comida que seja digna daquele momento!

Claro que nossa vida, também é “feita com pimenta” e às vezes, daquelas bem ardidas! Uma sexta feira quando a casa está lotada de reservas e todos na cozinha ficam tensos, um cliente que chega quando estamos com a cozinha quase fechada, um compromisso que não podemos comparecer porque trabalhamos até tarde...

Cozinhar é quase uma alquimia, é saber transformar e valorizar uma simples batata que um dia alguém plantou em uma roça bem distante, sem pretensão alguma, e fazer dela uma batata rosti, dauphinoise, ou até mesmo uma simples batata assada para agradar aos mais diversos paladares. E, em volta desta batata, é criado um momento de celebração, descontração e de pura felicidade, seja em um restaurante ou em um almoço de domingo com a família.

Do cozinheiro, blogueiro e amigo Felipe Tavares, que escreveu esse texto especialmente para brindar os 2 anos do Feito com Pimenta.