Pular para o conteúdo principal

Cozinhando com prazer


Quando larguei toda uma vida profissional para ir para cozinha, fui alvo de muitas críticas. Muitos achavam que eu estava sendo louco e que não deveria transformar meu hobby em carreira. Já outros me apoiavam e diziam que eu deveria correr atrás do meu sonho.

Quase dois anos se passaram e até hoje, muitos conhecidos me perguntam se valeu a pena ou se eu me arrependo. Não me arrependo e acredito que já valeu e ainda vai valer muito a pena.

Trabalhar com gastronomia é uma atividade extremamente gratificante. Sabe por quê? Trabalhamos para fazer as pessoas felizes! È muito lindo ver a reação de um cliente quando um prato nosso chega à sua mesa, os olhos brilham, ele comenta com o seu companheiro ao lado: “Nossa, deve estar uma delícia!” e a reação da pessoa quando dá a primeira garfada no prato? Sem comentários. É muito bom!

As pessoas vão ao restaurante, para celebrar uma data especial, para conquistar, às vezes para impressionar, ninguém (na maioria das vezes) está ali obrigado e, isto, torna o nosso serviço muito mais fácil e prazeroso. Queremos servir uma comida que seja digna daquele momento!

Claro que nossa vida, também é “feita com pimenta” e às vezes, daquelas bem ardidas! Uma sexta feira quando a casa está lotada de reservas e todos na cozinha ficam tensos, um cliente que chega quando estamos com a cozinha quase fechada, um compromisso que não podemos comparecer porque trabalhamos até tarde...

Cozinhar é quase uma alquimia, é saber transformar e valorizar uma simples batata que um dia alguém plantou em uma roça bem distante, sem pretensão alguma, e fazer dela uma batata rosti, dauphinoise, ou até mesmo uma simples batata assada para agradar aos mais diversos paladares. E, em volta desta batata, é criado um momento de celebração, descontração e de pura felicidade, seja em um restaurante ou em um almoço de domingo com a família.

Do cozinheiro, blogueiro e amigo Felipe Tavares, que escreveu esse texto especialmente para brindar os 2 anos do Feito com Pimenta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Petiscos sem carne

Na última sexta-feira foi dia de receber pessoas especiais em casa e (...) que não comiam carne. Isso pode até parecer um problema inicialmente, mas é coisa fácil de resolver. Afinal, tem tanta coisa gostosa nesse mundo. Preparei vários petiscos sem carne, mas vou dar a receita de três que considero a facilidade em pessoa.
Caponata de Beringela 1 berinjela em cubos + 1 cebola fatiada em meia lua + 4 dentes de alho fatiados + 1 pimentão vermelho em fatias meia lua + 1 pimentão amarelo em fatias meia lua + 100 gramas de uvas passas branca + 100 gramas de amendoim torrado e sem casca + 1 xícara de chá de azeite + sal e pimenta do reino = Coloque todos os ingredientes (com exceção dos temperos) em um tabuleiro e leve ao forno alto. Deixe por 30 minutos, misturando de vez em quando. Retire do forno e tempere.
Tomatinhos confitados 500 gramas de tomatinhos (sweer grape, uva, mini italiano) cortados ao meio + 2 dentes de alho picadinhos + 200 ml de azeite + manjericão fresco à gosto + 1 pita…

Receita de bolo #casadinhos

Traduzir amor em comida é uma das melhores coisas da vida. Dá uma sensação boa preparar tudo com muito carinho e depois ver a pessoa degustando a comidinha com esse tempero especial. E uma das coisas que mais faço para agradar os que amo é bolo. De aniversário, gelado ou mesmo aquele simples, bem roceiro. Tudo é motivo para bolo! Ontem ganhei uma goiabada cremosa apetitosa que na mesma hora virou motivo de bolo. Com alguns minutos o tabuleiro já estava no forno, o cheiro tomando conta da casa e o maridinho abrindo aquele sorrisão de quem iria se esbaldar de bolo/amor.
Bolo de goiabada com queijo
Ingredientes: 4 ovos 2 colheres de manteiga ½ xícara de creme de leite 2 xícaras de açúcar 2/3 xícaras de leite 4 xícaras de farinha de trigo 1 colher de chá de fermento biológico 4 colheres de sopa de queijo minas ralado 4 colheres de sopa de goiabada cremosa 1 xícara de leite condensado
Modo de preparo:
Bater em uma batedeira as gemas, manteiga, creme de leite e açúcar até formar um creme. Acr…

Docinhos mágicos

Sou daquelas que troca cinquenta bombons com ouro comestível, florzinha de pasta americana e corante por um cajuzinho. Gosto dos tradicionais, dos sabores simples e verdadeiros. Aqueles docinhos honestos, que não tem gosto de produtos industrializados, mas que traduzem carinho em forma de bolinhas.
Gosto também das mãos por trás deles. Pessoas que não deixam essas receitas se perderem, criam outras e valorizam o artesanal. Eis que surgem os Docinhos Mágicos da Lylli Paper, marca recém-lançada por uma querida amiga. Tudo é feito artesanalmente e com um cuidado extremo para alegrar sua alma. Já provei os seguintes sabores: brigadeiro de paçoca, canela, coockie de morango (que me deixou desmaiada de amor), óreo, e os docinhos de leite ninho, beijinho e, minha paixão maior da vida, cajuzinho. As opções são diversas e o preço bem camarada, viu?
A Lylli Paper também faz projetos customizados para diversos eventos como aniversário, casamento, chá de panela, batizado e outros. Eles cuidam d…