Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2009

Tóquio é a capital mundial da gastronomia

Se alguém me perguntasse qual a capital mundial da gastronomia, acho que poderia tecer várias respostas, algumas até inusitadas, mas nem chegaria a cogitar Tóquio. Agora, se alguém perguntar para o Senhor Michelin, a resposta é exatamente essa. Os olhos puxados passaram na frente dos que fazem biquinho para falar. Segundo o Guia Michelin, sistema de avaliação mais conceituado na área, Tóquio é considerada a cidade com o maior número de restaurantes com a melhor avaliação do guia.
A capital japonesa conta com 11 restaurantes três estrelas no guia, enquanto Paris tem dez. Já Nova York tem apenas quatro restaurantes com três estrelas.
A capital do Japão continua sendo também a cidade mais "estrelada" do mundo, com 261 estrelas no total, 34 a mais que no ano pasado, concedidas a 197 restaurantes.
Apesar de Paris estar atrás de Tóquio no número de restaurantes mais bem cotados pelo guia, a França ainda está na frente na lista de países com mais restaurantes três estrelas. O país eur…

Mercado Central I

No último sábado, eu com minha amada turma de aspirantes a cozinheiros e nossa incansável professora Cidinha Lamounier, estávamos às 8h da matina no Mercado Central de Belo Horizonte. A visita era parte de uma aula prática para conhecermos mais sobre alguns produtos alimentícios e também seus preços.
Ir ao Mercado é sempre um grande prazer, mas dessa vez foi diferente. Estávamos munidos de muito entusiasmo e sedentos por conhecimento. O nosso sentimento era de desbravadores, que em uma manhã descobririam um mundo novo. Por mais que o ambiente fosse comum a muitos de nós, não havíamos olhando com tais olhos anteriormente, menos ainda orientados por um instrutor.
Dentre tantas informações que certamente não caberiam aqui, o que mais me encantou foram as pimentas. O que não é de se admirar, visto o nome do blog. A diversidade, a explicação sobre a pungência de cada uma, a origem e aplicação na cozinha, me deixaram mais uma vez encantada por elas.
Para quem também se rende a esses frutos (si…

Comida que emociona

Tem aquela comida para matar a vontade de comer. A que alimenta nosso ego (quando fazemos uma obra prima na cozinha!). Pode ser uma comida típica, cheia de valor cultural. Tem a nossa comidinha do dia a dia, que papai e mamãe nunca deixaram faltar à mesa. E teria outras tantas para falar aqui.
Ressalto aqui a comida que emociona pelo simples fato de alimentar quem tem fome. Essa sim, feita a mãos que não buscam apenas o salário no quinto dia útil do mês, mas que acreditam que cozinhar 700 quilos de arroz por dia muda sim alguma coisa. Que preparar mais de 5 mil refeições para o almoço, não é simplesmente uma profissão, mas sim um ato de cidadania. Pessoas que cozinham toneladas de carne por semana, com o tempero mais gostoso, amor.
Em visita a um dos Restaurantes Populares em Belo Horizonte, no meio de uma turma de aspirantes a cozinheiros, fui apresentada à realidade de uma cozinha grande. Seja em quantidade ou em alma.
Não é um trabalho voluntário, é como qualquer outro emprego ou, pel…

Copa, Olimpíadas e Cupuaçu

Já tínhamos a Copa do Mundo para 2014, agora, vencemos a competição pelas Olimpíadas de 2016. Os brasileiros se enchem de esperanças, os empresários veem a oportunidade de crescerem com seus negócios e os políticos tem a chance de se promoverem. Sem falar nos nossos atletas, que estarão a mil.
Esses acontecimentos certamente entrarão para a história e movimentarão todo e qualquer setor no país. Vejo nisso uma chance única de fortalecermos e divulgarmos a gastronomia brasileira. Serão muitos turistas dispostos a conhecer nosso país, nossa cultura. Além disso, o Brasil terá projeção mundial, será notícia em vários lugares, então, façamos da nossa gastronomia notícia também.
É o momento de exaltarmos nossos produtos, é hora de mostrarmos a maravilhosa diversidade de nossa pátria.

Uma relação de amor

Começa a realização de um verdadeiro sonho: profissionalizar-me na área da gastronomia. Essa semana teve início o curso de cozinheiro e lá estou eu, no meio de 25 alunos. Certamente, este será um assunto recorrente aqui no Feito com Pimenta, mas o que gostaria de dividir hoje é algo simples, contudo, encantador.
Durante todo o processo de seleção e, mais ainda, quando os trabalhos começaram, percebi como essa área realmente é para os apaixonados. Nos olhos de cada um, aquele brilho enorme. Os corações batiam acelerados. O friozinho na barriga era certo. A empolgação evidente. O prazer de falar a todos sobre sua emoção em estar ali era óbvio. Tudo isso porque somos movidos pela mesma coisa: o amor.
Foto: Marcos Michelin

Vida longa à flor

A história toda começou com a Chef Roberta Sudbrack e o assunto foi crescendo e ganhando simpatizantes ao movimento. O blog Cuecas na Cozinha disse, a Luciana Fróes enfatizou, o portal Malagueta também deu sua pitada e, para finalizar, Josimar Melo se pronunciou.
Essa movimentação toda está acontecendo em função da flor de sal, que por não ter a quantidade estabelecida de iodo, conforme legislação vigente, está a perigo. Assim, o produto que, na maior parte, é trazido da França, está sendo barrado na importação.
“Ora, adicionar iodo à flor de sal, um produto absolutamente natural e por isso mesmo sensacional, é que os franceses não vão! E nem devem!”, defende Roberta em seu blog.
O assunto tem sido bastante falado, mas até agora (eu ainda não vi nada!) as autoridades e órgãos responsáveis não se pronunciaram. E nem sei se vão. Mas uma questão que tem sido ponderada é o fato da flor de sal ser um produto natural e utilizado em ocasiões especiais na cozinha. Ela é usada mais para finalizaç…

Banana na balança

A partir desta quarta-feira, 16, banana só pode ser vendida por quilo em São Paulo. A lei, de 2008, determina que a fruta não pode mais ser vendida por dúzia. Essa decisão tem como objetivo efetuar uma venda mais justa para o consumidor, assim como para o produtor.
Contudo, o sindicato dos feirantes é contrário à decisão e pretende entrar com uma ação judicial contra a lei. Os feirantes reivindicam liberdade para trabalhar a forma de venda das bananas, ficando a critério de cada um vender no peso ou na dúzia.
Certamente, se a medida permanecer, a forma de pedir banana por parte dos clientes continuará a mesma. É chegar à feira ou mercado, pedir uma ou duas dúzias de bananas e o vendedor efetua a pesagem. Eis, então, o problema. A que preço vender o quilo da banana e como os vendedores irão se adequar para atender à lei, com aquisição de balanças e procedimentos de fiscalização?

Foto: Marcos Michelin

Pedras

Peço licença à gastronomia... A cidade de Tiradentes nos brinda com maravilhas que nada tem de sabor na boca, mas sim em outros sentidos. A cidade, que é repleta de valor histórico e cultural, fica ainda mais charmosa com o cair da noite. A sua graça está em andar pelas pedras desniveladas, escuras e molhadas. Andaria a noite toda, devagar ou depressa, parava e continuava e parava de novo.

Mudança bem vinda

A revista Gourmet Virtual mudou de cara. Agora, além de poder folhear a versão digital, você também pode conferir as novidades da revista no novo site. Nesse espaço, também está o nosso Twitter, ferramenta dinâmica que utilizamos para informar os leitores sobre tudo o que acontece no mundo da gastronomia.
Para comemorar o aniversário de 80 anos do Mercado Central em BH, a revista Gourmet Virtual traz em sua matéria principal a temática desse senhor caduco de tudo. Não entendeu, então leia a revista. Além disso, descubra o que o artista plástico Carlos Bracher gosta de comer no seu dia-a-dia, os encantos do Vale do Charme, a história de vida do Chef Elson da Silva e muitas coisas mais.
Gourmet Virtual

Viva a Paella!

Parece sina de festival de gastronomia, tem que ter Paella. Como já disse aqui, o Festival de Araxá tem em sua programação a “Paelha Caipira”, feita pelo Clube da Cozinha de Araxá com ingredientes tipicamente mineiros.
Em Tiradentes, o típico prato espanhol também deu o ar da graça, só que dessa vez contou com toda a tradição.
A comida foi preparada pelo chef Rodrigo Zarife no Butiquim Oficial, em plena praça, aos olhos de todos.
Zarife, que participa do festival há alguns anos, já preparou o prato para até mil pessoas, sem ser poupado de elogios.
Por onde passa, o carro de fácil identificação – Chef Paellero – estaciona o sabor e admiração, pois tudo é feito na hora, no meio do povo.

Chef Paellero
Paelha Caipira

Por falar em festival

Na última quinta-feira, dia 27, foi aberto o Festival BH Sabor e Arte, que conta com a participação de dez restaurantes renomados da capital mineira. A programação, que é associada ao evento Jazz Festival Brasil, se estende até o dia 6 de setembro.
A edição do Festival BH Sabor e Arte é promovido pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel) e apoiado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur. O objetivo dessa parceria é associar alta gastronomia dos restaurantes da cidade e atividades culturais. Segundo o presidente da Belotur, Júlio Pires, em nota, a realização desse Festival, pelo segundo ano consecutivo, reafirma a referência nacional da riqueza da gastronomia mineira e sua condição prestigiada de atrativo turístico.

Confira os restaurantes participantes:
A Favorita
Preço do menu degustação: R$ 89,00
Rua Santa Catarina, 1235 – Lourdes
(31) 3275-2352
Aurora
Preço do menu degustação: R$ 88,00
Rua Expedicionário Mário Alves de Oliveira, 421 - Pampul…

Festival de Gastronomia de Tiradentes

Entre os dias 21 e 30 de agosto aconteceu o Festival de Gastronomia de Tiradentes. A cidade histórica serviu de palco para grandes chefs, workshops, debates e muita gastronomia. O público ficou entre a programação do evento, que é parte do Circuito Brasileiro de Cultura e Gastronomia, e as atividades locais, como os artesanatos, patrimônios históricos, natureza e, claro, os restaurantes. Pude conferir de perto o festival, por isso já justifico minha ausência no blog, mas apresento uma série especial de post sobre a minha cobertura em Tiradentes.
Foto: Marcos Michelin

Luxo puro

O portal MSN veiculou uma matéria sobre as comidas mais caras do mundo. A lista “10 Most Expensive Foods on Earth" foi elaborada pelo jornal novaiorquino Daily News. Coloquei o que considero luxo puro e, também, bizzarice pura. Dê uma olhadinha nessas comidas e diga se conhece e se já provou algo parecido (não esnobe!).

Frrozen Haute Chocolate
Além de combinar o melhor do sorvete e do chocolate, incluindo quatorze das marcas mais caras e exóticas do mundo, a taça vem com uma farofa de ouro comestível 24 quilates e um bracelete de ouro 18 quilates com diamantes brancos, no fundo. Além disto, a colher, que pode ser levada para casa, é de ouro 18 quilates cravejada de diamantes.
Onde encontrar? Serendipity 3 - Nova Iorque / EUA
Preço: US$ 25 mil


Kopi Luwak
Também conhecido como Civet, este café é considerado o melhor (e mais caro) do mundo. O processo de produção parece estranho, mas ai está a diferença. O Civeta - uma espécie semelhante ao gambá - come os grãos, mas não os digere. O Kopi…

Torta de limão

Uma torta simples e clássica, mas sempre bem vinda, uma de minhas preferidas. Se prepare para fazer a receita, coloque a música que mais te inspira, separe todos os ingredientes e mãos à massa. É só deixar a mágica acontecer.

O que você vai precisar Massa
2 xícaras de chá de farinha trigo
4 colheres de sopa de manteiga
1 pitada de noz moscada
½ xícara de creme de leite fresco
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de raspas de laranja
Recheio
2 latas de leite condensado
Suco de 5 limões
1 colher de sopa de raspas de limão
Cobertura
3 claras
5 colheres de sopa de açúcar

Como fazer
Misture os ingredientes secos e, em seguida, incorpore a manteiga e o creme de leite, até formar uma massa homogênea. Deixe descasar na geladeira por 40 minutos. Acomode a massa em uma forma de fundo removível e fure-a com um garfo. Leve ao forno médio por 20 minutos. Para o recheio, misture todos os ingredientes até formar um creme consistente. Para a cobertura, batas as claras em neve e adicione aos poucos o aç…

Sem sinal de fumaça

À meia noite dessa sexta-feira (07) começou a vigorar em São Paulo a lei antifumo. Sancionada há três meses pelo governador José Serra, a lei busca principalmente proteger a saúde do fumante passivo. Dado importante: segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), o fumo passivo é a terceira maior causa de mortes evitáveis no mundo.
A lei não proíbe o ato de fumar, ela restringe. São proibidos lugares fechados de uso coletivo, público ou privado, como restaurantes, bares, casas noturnas, estacionamentos, instituições de ensino, etc. Com essa normatização, os fumódromos também são abolidos.
Essa medida vai exigir uma total mudança de hábito. E cá entre nós, mudar não é fácil, quanto mais, mudar uma sociedade inteira. É um trabalho de conscientização aliado a punição, uma vez que a lei prevê multa e interdição dos locais que não cumprirem as normas. Na primeira blitz em bairros badalados da cidade da garoa, os agentes não tiveram muito trabalho, pois os estabelecimentos e os fumantes…

Fortaleza de aratu

O canto das mulheres atraía os crustáceos para a armadilha, assim era realizada a pesca do aratu. Esse tipo de caranguejo era encontrando em abundância no povoado de Cajazeiras, no Município de Santa Luzia do Itanhy em Sergipe, contudo, a principal atividade do povoado já não produz como antigamente. A comunidade, que é formada por 250 famílias, recebe a Fortaleza, que busca, com apoio de instituições locais, criar uma área dedicada ao repovoamento do aratu.
A ação é uma iniciativa do movimento Slow Food, que se norteia pela junção do prazer da alimentação com consciência e responsabilidade. Dentre os diversos projetos do movimento, esse tem como objetivo educar os pescadores para o uso sustentável dos recursos naturais, melhorar a qualidade do produto para aumentar o valor agregado e buscar alternativas para uma comercialização justa, com remuneração adequada para os pescadores.
Fonte do texto e foto: Slow Food

Vinho para elas

Na manhã dessa segunda-feira (27), os principais jornais e sites de notícias nos acordaram com um brinde especial. A notícia é que, segundo estudo, o consumo moderado de vinho tinto pode aumentar a libido sexual feminina.
A pesquisa foi realizada pela Universidade de Florença e contou com a partipação de 798 mulheres italianas. Classificada em três grupos, de acordo com o consumo diário de vinho, a mulherada respondeu questionários com 19 perguntas sobre sexualidade.
O resultado desse trabalho constatou que o grupo de mulheres que consomem uma ou duas taças de vinho por dia, apresentam maiores índices de desejo sexual. O estudo ainda deve passar por considerações e pesquisas, a fim de possibilitar mais conhecimento e credibilidade para ao assunto, mas já é um começo.
Minha dica é a seguinte: se pipoca é afrodisíaca e exerce algum efeito sobre os homens, vamos aliar os dois ingredientes. Um mistura que contenha pipoca para eles e vinho tinto para elas.
Que tal?

Ardida
As assessorias de impre…

Chocolate dos Deuses

Lineu, em 1573, nomeou a árvore de cacau de Theobroma cacao. A designação do gênero (o primeiro nome) vem do grego e significa “alimento dos deuses”. Antes de ser nomeado, em 1554, o cacau foi levado por frades dominicanos da América para a Espanha. Juntos com uma delegação da nobreza maia, os frades apresentaram o chocolate batido para o príncipe Filipe, futuro rei Filipe II, que, segundo historiadores da alimentação, não gostou nem um pouco do produto.
Maias e astecas consumiam o produto batido. Diz-se que os astecas, abstêmios, gostavam da bebida pelo fato de ela não ser alcoólica. Além de triturar a semente para a produção da bebida, usavam-na como moeda. Bebiam o cacahuatl frio. Trituravam as sementes, pulverizavam com água, coavam e filtravam o preparado. Em seguida entornavam o líquido de uma vasilha a outra para a formação de espuma e a bebiam, amarga e fria.
No século XVII, como resultado do processo de colonização, o cacau encontrou-se com o açúcar e passou a ser consumido com…

Saindo do forno

A 6ª edição da revista Gourmet Virtual já está disponibilizada no site. Nesse número, a temática foi o inverno, que com seu tempo frio e aconchegante, é ideal para comidinhas especiais. Caldos, fondues, chocolates quentes, queijos, vinhos e outras delícias. Até sorvete tem! Um cardápio especial para a estação mais fria do ano, um verdadeiro convite para abandonar a preguiça dos cobertores. Além disso, a revista traz uma entrevista com o Chef Luciano Antonello, que fala sobre sua carreira e projetos futuros.
Não deixe de conferir. http://www.gourmetvirtual.com.br/

Ponto para a cultura e tradição de Minas

A Emater-MG lança nesta semana o Projeto de Melhoria de Qualidade do Queijo Cabacinha do Jequitinhonha. A iniciativa faz parte das ações do Agregaminas, programa estruturador da Emater-MG. A proposta consiste em agregar valor aos produtos da agricultura familiar por meio de práticas de produção corretas, garantia de qualidade e origem dos produtos.
O Projeto de Melhoria de Qualidade do Queijo Cabacinha pretende viabilizar adequações necessárias para a legalização do queijo em órgãos de defesa sanitária, fortalecendo assim, a cultura e a tradição deste importante produto do Vale do Jequitinhonha.
De acordo com a coordenadora estadual do Programa Queijo Minas Artesanal, Marinalva Soares, o projeto vai agregar maior valor ao produto, o que vai colaborar com o desenvolvimento econômico e social da região. Com a implementação do Projeto de Melhoria de Qualidade do Queijo Cabacinha, o pequeno e médio produtor também terão linhas de crédito para auxiliar na produção.
Fonte do texto e da foto:…

Juntos também na cozinha

Correria, trabalho, compromissos e falta de tempo, fazem parte da realidade de muitos casais em dias atuais. Para alguns, é impossível conseguir um momento disponível para se dedicar ao outro, em passeios ou programas especiais.
Mas, independente da loucura do dia a dia, não deixamos de nos alimentar ou, pelo menos, não deveríamos. Uma dica é fazer desses momentos uma oportunidade para cultivar o relacionamento. Aproveite as refeições para criar um clima gostoso, no qual a preocupação não seja apenas matar a fome.
Escolha uma boa música e descubram juntos as sensações e prazeres da gastronomia, mesmo que seja em um simples sanduíche ou, até mesmo, em um prato elaborado. A gastronomia aproxima as pessoas. Na cozinha as cores são outras, ficam cheias de vida e beleza, nos enchendo de inspiração. A mágica acontece...

Teoria da conspiração

Recentemente, circulou pela rede um email afirmando que uma cooperativa de plantadores de feijão estaria infestada pelo protozoário Trypanosoma Cruzi, causador da doença de Chagas. O assunto foi muito discutido e desmentido, pois as informações relatadas na mensagem não tinham fundamento.
Se não bastasse, essa semana começou a circular uma nova mensagem, que chega a ser irrisória. Neste email, que tem como titulo “A verdade sobre o feijão infectado”, o autor passa o texto todo justificando o email anterior, afirmando que realmente era falso e que ele nos revela a verdade sobre história. “A mensagem anterior realmente é falsa. A cooperativa de produtores de feijão usou esse disparo falso como estratégia de marketing, com obijetivo de atrair olhares para a marca, uma jogada de mestre”.
Essas pessoas que teimam em lançar campanhas na internet com informações alarmantes, deveriam ao menos ter o trabalho de pensar antes de escrever. Querer fazer terror, espalhar um vírus ou qualquer outro co…

No Rio tem mar, mas também tem bar

O festival Comida Di Buteco, que há dez anos é sucesso em Belo Horizonte, também fez bonito no Rio de Janeiro. O evento se propõe a promover o resgate da chamada culinária de raiz e, por meio dos petiscos, criar uma motivação - além do chope e da cerveja - para que o público vá aos botecos.
A deliciosa competição pelo prêmio de melhor Boteco durou um mês no Rio de Janeiro e levou aos 30 estabelecimentos participantes do festival milhares de botequeiros.
O júri especializado, em conjunto com esses tantos botequeiros, elegeram a Academia da Cachaça como o melhor boteco, que concorreu com o petisco “empada de queijo coalho e alecrim”. Em segundo lugar ficou o Original do Brás, com o tira-gosto “Doce Refúgio”, e em terceiro o Enchendo Lingüiça, com “Linguça Croc”.

Texto especial para minha amiga Fabíola Mattos, mineira de coração, mais que está se rendendo aos encantos da cidade maravilhosa.

Pipocas!

Segundo o site da Época, na coluna Saúde & Bem Estar, pipoca é comida afrodisíaca. A notícia foi publicada há alguns dias, mas fiquei com a informação pairando sobre os meus pensamentos.
A descoberta é de fato intrigante, uma vez que é uma comida comum e geralmente consumida em grande quantidade, levando em consideração que quando começamos a comer pipoca é difícil parar.
Mas o que me deixou pensativa, foi o fato da matéria estar na coluna relativa à saúde e bem estar. Quando soube da novidade, fui direto na coluna sobre gastronomia, mas a informação não estava lá. Será que foi apenas uma questão de distribuição na redação do site ou trata-se mesmo de uma notícia importante para a saúde e bem estar dos brasileiros?
Independente da resposta à pergunta acima, vale fazer uma recomendação: faça uso da pipoca com moderação. Pois, segundo a descoberta - noticiada pelo site do jornal inglês Guardian, que cita como fonte a revista masculina Men's Health - a substância presente no mi…

Com um toque de Mariana

Não poderia deixar de falar dos meus mais recentes filhotes,assim chamo meus trabalhos. O primeiro, a participação na Revista Verdemar no mês de junho, escrevi alguns textos para eles, não deixem de conferir.
E o segundo, não menos importante, a revista Gourmet Virtual. Com espírito de estréia, depois de ficar algum tempo desativada, o Gourmet Virtual volta com força total em sua 5º edição. É para esse produto que destino a maior parte do meu suor ultimamente. Propondo mais uma vez, nosso tema preferido: gastronomia. Então, não deixem de ler e enviar suas críticas e sugestões.
http://www.gourmetvirtual.com.br/

O samba de Dalva de Oliveira

Sob os olhares da velha guarda da Portela acontece o samba no Dalva Botequim Musical. O nome do bar é uma homenagem à cantora Dalva de Oliveira, que brilhou na época do rádio.
Entre fotos da velha guarda, vinis e fotos de cantores que fizeram história, a decoração atrai os olhares de todos que passam por ali em uma verdadeira viagem no tempo. A música, como não poderia deixar de ser, é de origem pura, relembrando clássicos consagrados.
O botequim fica muito cheio, então, meu conselho é: aqueles que querem agitação, certamente vão parar na porta, aos redores - para os que querem ouvir a música, sentar e comer um petisco tranqüilo, fique do lado de dentro e aproveite a arte de botecar.

Um estranho no ninho

Os estudantes que moram sozinhos passam por situações diversas, que contando muitos não acreditam. Nesses casos, é preciso fotografar a cena para ter credibilidade, valendo-se da máxima “ver para crer”.
Assim aconteceu nos tempos da faculdade. Hora do almoço, atrasada para algum dos três estágios que fazia ao mesmo tempo, fiz uso de um recurso comum entre essa classe: colocar a carne para descongelar ao sol que bate na janela.
Minutos depois, fui surpreendida por um ladrão de carne, imponente e destemido, aparecia o gavião. Ao contar sobre o fato, ninguém acreditou. Pensei que talvez não inspirasse verdades ou que o episódio era mesmo duvidoso: uma ave que atendia a seu instituto primário, a caça, entre prédios de uma sociedade civilizada.
Mas a história era muito boa, merecia a importância devida. Então, no final de semana, com mais tempo disponível, resolvi tentar a sorte. Coloquei um pedaço de carne, desta vez fora do plástico, com intuito de atrair ainda mais a ave. Para minha felici…

Sabor das telonas

São muitos os filmes que abordam assuntos relacionados à gastronomia, poderia fazer uma lista de importância sobre vários aspectos. Mas, escolhi o meu preferido, pois não canso de indicar A Festa de Babette.
Quando penso que todos já o conhecem, me aparece alguém que ainda não assistiu o longa. Isso me aconteceu hoje, uma colega de trabalho não sabia sobre o filme. Assim, para quem ainda não viu e para aqueles que, como eu, gostam de relembrar o clássico, está dada a dica.
“Quem pensa que a comida só faz matar a fome está redondamente enganado. Comer é muito perigoso. Porque quem cozinha é parente próximo das bruxas e dos magos. Cozinhar é feitiçaria, alquimia. E comer é ser enfeitiçado. Sabia disso Babette, artista que conhecia os segredos de produzir alegria pela comida. Ela sabia que, depois de comer, as pessoas não permanecem as mesmas. Coisas mágicas acontecem”.
Trecho do texto de Rubens Alves sobre o filme.
O texto acima foi publicado no jornal Correio Popular – Campinas(SP) e retir…

Paelha caipira

Não resisti em falar apenas do boi, então, falemos também da paelha. Isso mesmo, o Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá, surpreende pela diversificação no cardápio, apresentando a paelha caipira. A comida é feita pelo Clube da Cozinha de Araxá, que participa ativamente do festival.
O prato de origem espanhola é reinventado com um jeitinho bem mineiro. Ingredientes típicos da culinária brasileira, em especial da mineira, como costelinha, lingüiça, cebola, pimentão e couve fazem parte da receita. O resultado é uma invenção saborosa, que provoca uma verdadeira disputa no festival, rendendo uma fila em volta da cozinha montada no espaço. Para atender a essa demanda, os cozinheiros preparam a comida em grandes quantidades, um tacho atrás do outro.

O velório do boi

Recentemente, participei de um festival que me deixou maravilhada, o Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Araxá, que aconteceu no mês de maio. Uma celebração da verdadeira gastronomia, dias em que os participantes puderam respirar o cheiro da comida brasileira aliada à sofisticação de chefs internacionais.
A elaborada e original programação surpreendia a todo instante. Além de workshops com renomados chefs, mesas redondas com assuntos empolgantes e degustações, o festival apresenta alguns eventos específicos, como o velório do boi.
Uma festa da gastronomia que se assemelha a um ato de selvajaria, quando um boi inteiro é espetado e fica assando durante 24h. O momento é o auge do festival, reunindo curiosos em torno do animal que é velado pela noite toda ao embalo dos contadores de causos e uma tradicional cachaça.

Quando a gente gosta, é claro que a gente cozinha

O prazer de cozinhar está muitas vezes ligado ao prazer de agradar aos outros. É um carinho, uma oferenda, uma forma de demonstrar com farinha e ovo aquilo que o coração dita. Gosto de cozinhar para muitas pessoas. Dentre elas, meu afilhado Gabriel, que me permite não só dedicar meu afeto, mas, me leva a uma viagem no tempo, me faz moleca e criança.
É uma motivação para acreditar que o futuro da nação, está sim, nas crianças. Me faz ir para cozinha em todos nossos encontros. Já fizemos pipoca à moda antiga, com a panela destampada para ver a explosão na cozinha. Para acompanhar as longas noites de filmes, elaboramos diferentes chocolates quentes. E, em uma tarde desanimada, partimos para a batedeira para fazer um bolo cheio de guloseimas, com gosto de infância.

O melhor lugar da casa

A vantagem de se ter um blog, além de usá-lo para divulgar informações e idéias, é poder fazer uso desse espaço para relatos pessoais. Esse texto, fala disso, de uma das relações que tenho com a gastronomia.
Desde pequena fui acostumada e ver todas as reuniões sendo realizadas na cozinha. De um simples café com pão na chapa do fogão à lenha, hora em que aproveitávamos o quentinho do fogo para aquecer os dias frios, até os grandes almoços e jantares em família.
Na minha casa, todos os assuntos, discussões, brigas, alegrias, comunicados, são feitos ao redor de uma mesa. Quando das mãos das mulheres da casa, uma fartura sem tamanho, que na maioria das vezes nos faz salivar só de sentir o cheiro dos quitutes. Quando das mãos dos homens, fortes e calejadas, as especialidades são os churrascos. A nova geração, netos e netas, ficam responsáveis por trazer novidades e por conta do barulho, é uma bagunça completa.
Essa vivência me permite dizer que o melhor lugar da casa, sem dúvidas, é a cozinh…

Botecando eu vou

Estou começando esse blog agora e nada melhor para iniciar os trabalhos do que a notícia que tivemos essa semana em Belo Horizonte. O prefeito, Márcio Lacerda, aprovou no último dia 24 a Lei n° 9.714, que declara Belo Horizonte a Capital Mundial dos Botecos. A lei também institui o Dia Municipal dos Botecos, o terceiro sábado do mês de maio.
Aquela história de que Minas não tem mar, mas tem bar, agora ganha mais essa força. Uma cultura que vem de anos e que construiu uma base sólida, composta de muito torresmo e cachaça. A capital mineira se tornou atrativa pela diversificação de seus botecos. A imagem de um lugar sujo, com comida de baixa qualidade e ambiente não familiar, há tempos caiu por terra por aqui. A cultura de botecar se tornou unânime, o que originou, inclusive, no evento Comida di Buteco. Chegando a sua 10ª edição, esse ano, o evento elege a melhor comida de boteco, levando em consideração outros aspectos também, como o atendimento, a limpeza e a temperatura da cerveja. É …