sexta-feira, 26 de junho de 2009

Quando a gente gosta, é claro que a gente cozinha


O prazer de cozinhar está muitas vezes ligado ao prazer de agradar aos outros. É um carinho, uma oferenda, uma forma de demonstrar com farinha e ovo aquilo que o coração dita. Gosto de cozinhar para muitas pessoas. Dentre elas, meu afilhado Gabriel, que me permite não só dedicar meu afeto, mas, me leva a uma viagem no tempo, me faz moleca e criança.
É uma motivação para acreditar que o futuro da nação, está sim, nas crianças. Me faz ir para cozinha em todos nossos encontros. Já fizemos pipoca à moda antiga, com a panela destampada para ver a explosão na cozinha. Para acompanhar as longas noites de filmes, elaboramos diferentes chocolates quentes. E, em uma tarde desanimada, partimos para a batedeira para fazer um bolo cheio de guloseimas, com gosto de infância.

Um comentário:

Denise Arruda disse...

Mariana, nada melhor do que virar criança mesmo. Tenho dois filhos e gostamos de fazer essas bagunças também. Nossa preferida é misturar aqueles biscoitos salgados de várrios sabores...