Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

Amor em forma de bolo

Bolo de aniversário ou para o café da tarde, com ou sem cobertura, redondo ou quadrado, bolo de nata ou até de nada. Acho que foi a primeira coisa que cozinhei sozinha e, desde então, assumi a função de boleira da família. Gosta de pensar nas combinações de massa, recheio e cobertura para um bolo mais elaborado. Mas, gosto igualmente, de bater um bolinho despretensioso enquanto rola uma prosa na cozinha ou um disco na vitrola. Por ter essa paixão e facilidade com bolos, virou pedido oficial das pessoas ao meu redor. E nada mais gostoso do que fazer um afago comestível e cheiroso assim a quem a gente ama. A receita de hoje surgiu de acordo com o que tinha em casa e, por isso, vou me esforçar para reproduzir as medidas certinhas, já que fiz ‘no olho’ mesmo. 
Ingredientes: 2 ovos caipiras (momento ostentação!) 1 xícara de açúcar mascavo 3 colheres de óleo de coco 2 colheres de azeite 1 xícara de leite 1 xícara de farinha de coco 1 xícara de farinha de trigo 1 pitada de sal 1 colher de ch…

Aloha: leve e justo

Almoçar fora de casa sempre, para mim, é uma tortura. Uma coisa é experimentar pratos novos, com sabores e preços mais elevados. Mas na rotina preciso de comidinhas caseiras e com preço acessível. Gosto mesmo é de fazer minha marmita em casa, o que nem sempre consigo e preciso recorrer aos restaurantes perto do trabalho.
Essa semana estive no Aloha e achei a comida muito honesta. Sabor leve, opções saudáveis e com preço justo. Sou uma pessoa com um amor especial por beterraba: A-DO-RO! Então, imagina a alegria com esse prato. Arroz de beterraba com castanha de caju, purê de batata, frango grelhado e saladinha. Paguei R$ 11,90 e saí de lá feliz da vida. J

Garagem Gastrobar e uma reflexão

Ir ao Garagem Gastrobar é sempre uma delícia, mas essa última visita foi algo surpreendente. No caminho já estávamos pensando no que íamos comer: os tradicionais e deliciosos petiscos da casa. Quando chegamos lá nos deparamos com um cardápio cheio de novidades, pratos de fazer salivar e tivemos que dividir o direito de escolha (eu e marido), pois cada um queria pedir umas cinco opções diferentes.

Começamos pelo Taco de porco com abacate, coentro e milho torrado. Eu queria apenas viver disso, gente! Não dá vontade de parar de comer de tão simples e incrível. O segundo pedido foi Barriga de porco cozida lentamente, couve crua e queijo canastra. Aí foi o marido quem morreu de amores. Para finalizar, pedimos Língua, jiló ligeiramente defumado, picles de cebola e baru. Mais uma vez nos deliciamos tanto que a vontade era raspar o prato com um pãozinho (#ficaadica, chef!). Tínhamos muitos outros pedidos em mente, mas já estávamos satisfeitos e resolvemos deixar para a próxima.
Foi uma noite…