quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O primeiro pão


Outro dia contei aqui da caçula na cozinha, se entregando a esse novo mundo. Hoje venho falar de outra irmã, Lívia, que fez o seu primeiro pão. Preciso dizer que fazer pão, para mim, é uma coisa mágica. Você prepara a massa, sente ela em suas mãos, sova com todo carinho e depois experimenta uma sensação única: degustar aquilo que as próprias mãos fizeram. E ver essa experiência acontecendo com alguém tão próximo é ainda mais especial.

A receita escolhida foi um tradicional pão da nossa avó, com recheio de frango e legumes. Passei as instruções à tarde e quando a noite chegou começamos uma verdadeira conferência via telefone para acompanhar o passo a passo. Massa pronta, massa crescida e massa assada. O resultado foi magnífico, tanto pelo pão quanto pela alegria dela – e minha - em fazer o primeiro pão.

Só para constar, somos quatro irmãs e agora só falta a primogênita aparecer no blog. Mas, vou logo avisando, ela é a única que faz o frango com quiabo igual da nossa mãe, ou seja, uma cozinheira de mão cheia.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Brigadeiro de leite em pó com Nutella


Hoje quero usar este espaço para fazer uma denúncia muito séria: precisamos achar o culpado por inventar o tal brigadeiro de leite em pó com Nutella. Esse doce é muito perigoso, coisa de outro mundo e totalmente viciante. Se você se considera acima desse mal é porque ainda não teve coragem de experimentar. Confesso que eu era um pouco descrente com o poder dele, mas bastou uma mordida para me sentir intoxicada. Isso é tão sério, que não tive condições de tirar uma foto decente. Mas também não adiantaria, pois imagens e palavras não são suficientes para explicar o inexplicável, só experimentando mesmo. Respire fundo, anote a receita e boa sorte!

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
1 colher de sopa de manteiga
3 colheres de sopa de leite em pó
Nutella 

Modo de preparo:
Misturar o leite condensado, leite em pó e manteiga em uma panela. Levar ao fogo baixo, mexendo sem parar até dar o ponto de brigadeiro - aquele que desgruda do fundo da panela. Colocar em um prato untado com manteiga para esfriar. Fazer bolinhas da Nutella e colocar em um tabuleiro no freezer para gelar. Isso vai ajudar muito na hora de enrolar. Abrir as bolinhas com o brigadeiro, rechear com a Nutella e fechar. Finalizar passando no leite em pó e colocar nas forminhas. Dica: deixar na geladeira até a hora de servir, pois fica ainda mais gostoso geladinho.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Feriado, Batalha e Bruschetta


Esse final de semana, com direito a feriadinho na segunda-feira, foi daqueles de aproveitar bastante. O tempo em Juiz de Fora fechou, choveu e fez frio. Um cenário perfeito para curtir um vinho em casa, com direito a aperitivos, amigos e vitrola. Mais perfeito ainda com a encomenda que chegou sexta-feira: quatro garrafas da Batalha Vinhas e Vinhos, localizada na Campanha Gaúcha. Isso é, praticamente, um sinal do cosmos para a programação do fim de semana!

Foram quatro rótulos, Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat e o Espumante Brut. Suficientes para me deixar encantada com a qualidade, presença e personalidade dos vinhos. Já na primeira taça, fiquei instigada para conhecer melhor o trabalho deles e comecei a pesquisar. Uma história incrível de cuidado com a produção e estilo dos produtos, buscando resultado em termos de qualidade e não quantidade. Gostei muito de todos, mas o meu preferido foi o Merlot, bem marcante.

Para acompanhar, montei uma tábua com alguns petiscos, como queijo, pastrami, ciabatta e uma bruschetta de tomatinhos, que é uma paixão lá em casa. É tão simples e gostosa, que vou ensinar aqui rapidinho: corte um pão italiano em fatias, com cerca de 1 cm de espessura. Corte tomatinhos sweet grape pela metade e tempere com uma pitada de sal e uma de pimenta do reino. Fatie um alho bem fininho, frite no azeite e, já com o fogo desligado, misture os tomatinhos. Coloque-os por cima das fatias de pão, disponha em um tabuleiro, regue com um fio de azeite e leve ao forno pré-aquecido por cerca 5 minutos, coisa rápida.

Agora é só abrir seu vinho, degustar a bruschetta e ser feliz! J

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Um caso de amor com Tiradentes

Quitandinha no meio da rua

Estava meio sumida por um justo e necessário motivo: férias! Foram trinta dias de nada e tudo para fazer. Em um dos finais de semana de tudo para fazer, o destino foi o Festival Cultura e Gastronomia deTiradentes. Preciso dizer que, toda vez que visito essa fofuxa cidade, sinto-me em um caso de amor com a mesma. Gosto da simplicidade, das pessoas, da arquitetura, do clima e, claro, dos sabores de lá. Imagina esse último em pleno festival, uma perdição.

Esse ano foi a primeira vez que fui totalmente a passeio para o evento, sem nenhum compromisso profissional. Que coisa boa! Andei, relaxei, experimentei, brindei e fiquei com o dente roxo o tempo todo – oh lugar bom para tomar vinho! Além das atrações do festival, tanto musical quanto gastronômica, a cidade toda assume essa identidade e, em cada cantinho, você se sente acolhido e respirando cultura.

A nossa turma era grande, pois convidei uma galera para comemorar meu aniversário lá. Tinha marido, irmãs, pais, sogros, madrinhas, amigos, primos, amigas, sogros da irmã, cunhados e muita alegria. Foi um encontro memorável e que faz a gente pensar como é querido e como vale a pena aproveitar a vida. E essa é a mais importante mensagem que posso escrever sobre Tiradentes e seu lindo festival: aproveitar! Não deixe de ir ano que vem, faça sua reserva o quanto antes para garantir vaga com preço bom e aproveite muito, cada detalhe e grandiosidade que irá encontrar por lá.