quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Pudim de sorvete


Vou contar para vocês uma receitinha que faço sempre e que é sucesso lá em casa, o pudim de sorvete. Faço ele há bastante tempo, mas o diferencial está nos acompanhamentos do creme base. Além de prático e delicinha de comer, essa receita é daquelas que impressionam quando servida. Anota aí!

Ingredientes creme base
4 ovos
400 ml de leite
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 colher de amido de milho
4 colheres de sopa de açúcar

Modo de preparo
Separe gemas e claras dos ovos. Em uma panela misture o leite condensado, o leite, as gemas e o amido de milho. Leve ao fogo baixo até ficar na consistência de creme. Retire e deixe esfriar. Bata as claras em neve com o açúcar e, em seguida, acrescente o creme de leite gelado. Misture delicadamente os dois cremes. Despeje a calda de sua preferência na forma (uso de furo ou bolo inglês), coloque o creme, cubra com plástico filme e leve ao congelador por 12 horas antes de servir.

Sabores
Você pode adicionar vários sabores ao creme base, como bombom, frutas, castanhas, coco, amendoim e por aí vai. Vou contar aqui os meus preferidos.

Crocante de amendoim
Faça uma calda de açúcar grossa, misture com amendoim triturado e despeje em uma superfície untada. Depois de esfriar quebre em pedaços pequenos. Polvilhe um pouco de farinha de trigo no crocante e misture à massa base. Faça também um pouco de calda de açúcar em ponto fio para untar a forma.

Geleia de morango
Faça uma geleia com morangos picados, açúcar e um pouco de suco de limão. Deixe apurar até ficar em ponto de geleia. Coloque na forma e despeje o creme por cima.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Três dicas para comer bem

Hoje tenho três dicas lindas de alimentação saudável para contar. Alimentação é tudo, gente! Muitas pessoas confundem dieta com comer bem e acabam torcendo o nariz para escolhas saudáveis. O que precisa estar grudado em nossa mente é que somos resultado, com rigor, daquilo que escolhemos consumir. Não estou falando de ficar com o corpo “perfeito de capa de revista para o verão”, mas sobre estar com disposição e saúde para curtir a vida com o corpo que você tiver. Não sou nenhuma vigilante de comida e nem faço churrasco de melancia (ainda!). Contudo, cada vez mais, tenho me ligado nessas questões, prestando atenção aos rótulos e no que me traz bem estar. E nesse pensamento delícia de viver, vamos às dicas de hoje!

Um pequeno restaurante, no centro de Juiz de Fora, com uma linha de trabalho bem bacana. Alimentação saudável, muitas verduras e legumes no cardápio, opções de peixe todos os dias e a comida toda preparada SEM óleo. Além desses benefícios, o preço é super justo. Vale a pena conhecer!


Comidinhas veganas com muito sabor e carinho. Conheci o trabalho deles recentemente e já adorei. Experimentei o creme de caju, que não é só uma opção para substituir o requeijão, por exemplo, mas funciona bem como antepasto. Dentre os outros produtos, já estou louca para experimentar os leites de amêndoas e coco bem caseirinhos.


Sei que comprar alimentos orgânicos pode assustar um pouco, já que os preços são acima do que você está acostumado no mercado. Mas acho muito válido pensar no bem final para sua saúde, no impacto ambiental e, também, na qualidade de sabor. O funcionamento do Box Orgânico é bacana porque você faz o pedido online e eles entregam em casa. Minha dica é só planejar bem as compras e pensar nas escolhas do seu box.

“Desembale menos e descasque mais”.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Receita sensacional de pizza


Gente, preciso compartilhar com vocês a melhor receita de pizza da vida. Mentira, a segunda melhor... haha! Lá em casa somos acostumados com a famosa Pizza da Vovó, aquela massa mais fofinha, de espalhar no tabuleiro e que é a sensação da família. Mas, outro dia desses, me deu vontade de comer uma pizza sequinha e crocante. Encontrei essa receita do blog Chata de Galocha, no quadro O Chef e a Chata.

A receita não só deu certo, como atraiu uma amiga gulosa, rendeu muita história e, no dia seguinte, precisou ser repetida. Confira abaixo essa delícia!


quarta-feira, 27 de julho de 2016

O melhor do inverno: vinho


Sou uma pessoa apaixonada por vinho o ano inteiro, mas é no inverno que meu coração palpita ainda mais. Parece que nenhum clima frio, comidinhas, aconchego e cobertor de orelha funcionam se não tiver uma taça de vinho para acompanhar. E, dessa forma, passo meus dias invernais com o dente roxo.

A dica de hoje é o Cabernet Sauvignon Las Fuentes da Famiglia Zanlorenzi, um vinho equilibrado e que combina muito bem com as delícias dessa estação, como queijos e massas. Além disso, vale ressaltar que é um rótulo bem acessível, uma ótima relação de custo benefício, já que você pode tomar um bom vinho sem gastar muito.

Aproveito para destacar também que essa é uma vinícola nacional, situada na Serra Gaúcha. E, como sempre defendo, acho muito importante valorizarmos os nossos produtos. O Brasil tem muito vinho bacana, é só abrir os horizontes e se permitir conhecer.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Amor em forma de bolo


Bolo de aniversário ou para o café da tarde, com ou sem cobertura, redondo ou quadrado, bolo de nata ou até de nada. Acho que foi a primeira coisa que cozinhei sozinha e, desde então, assumi a função de boleira da família. Gosta de pensar nas combinações de massa, recheio e cobertura para um bolo mais elaborado. Mas, gosto igualmente, de bater um bolinho despretensioso enquanto rola uma prosa na cozinha ou um disco na vitrola. Por ter essa paixão e facilidade com bolos, virou pedido oficial das pessoas ao meu redor. E nada mais gostoso do que fazer um afago comestível e cheiroso assim a quem a gente ama. A receita de hoje surgiu de acordo com o que tinha em casa e, por isso, vou me esforçar para reproduzir as medidas certinhas, já que fiz ‘no olho’ mesmo. 

Ingredientes:
2 ovos caipiras (momento ostentação!)
1 xícara de açúcar mascavo
3 colheres de óleo de coco
2 colheres de azeite
1 xícara de leite
1 xícara de farinha de coco
1 xícara de farinha de trigo
1 pitada de sal
1 colher de chá de fermento químico

Modo de preparo:
Bata as claras em neve com a pitada de sal e reserve. Em outra vasilha, bata as gemas, o açúcar, o óleo de coco e o azeite até ficar bem fofo. Acrescente o leite e as farinhas e bata mais um pouco. Misture delicadamente as claras em neve e o fermento. Coloque em uma forma untada e enfarinha e leve ao forno pré-aquecido por cerca de 30 minutos.

Dica: fiz uma caldinha vapt vupt para despejar por cima. ½ xícara de açúcar, 1 gema, 1 colher de manteiga, 2 colheres de água e 2 colheres de chocolate em pó. Três minutinhos no fogo, até derreter e misturar tudo, e pronto!  

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Aloha: leve e justo


Almoçar fora de casa sempre, para mim, é uma tortura. Uma coisa é experimentar pratos novos, com sabores e preços mais elevados. Mas na rotina preciso de comidinhas caseiras e com preço acessível. Gosto mesmo é de fazer minha marmita em casa, o que nem sempre consigo e preciso recorrer aos restaurantes perto do trabalho.

Essa semana estive no Aloha e achei a comida muito honesta. Sabor leve, opções saudáveis e com preço justo. Sou uma pessoa com um amor especial por beterraba: A-DO-RO! Então, imagina a alegria com esse prato. Arroz de beterraba com castanha de caju, purê de batata, frango grelhado e saladinha. Paguei R$ 11,90 e saí de lá feliz da vida. J

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Garagem Gastrobar e uma reflexão

Porquinho, couve e canastra

Ir ao Garagem Gastrobar é sempre uma delícia, mas essa última visita foi algo surpreendente. No caminho já estávamos pensando no que íamos comer: os tradicionais e deliciosos petiscos da casa. Quando chegamos lá nos deparamos com um cardápio cheio de novidades, pratos de fazer salivar e tivemos que dividir o direito de escolha (eu e marido), pois cada um queria pedir umas cinco opções diferentes.

Começamos pelo Taco de porco com abacate, coentro e milho torrado. Eu queria apenas viver disso, gente! Não dá vontade de parar de comer de tão simples e incrível. O segundo pedido foi Barriga de porco cozida lentamente, couve crua e queijo canastra. Aí foi o marido quem morreu de amores. Para finalizar, pedimos Língua, jiló ligeiramente defumado, picles de cebola e baru. Mais uma vez nos deliciamos tanto que a vontade era raspar o prato com um pãozinho (#ficaadica, chef!). Tínhamos muitos outros pedidos em mente, mas já estávamos satisfeitos e resolvemos deixar para a próxima.

Foi uma noite de sabores tão maravilhosos que me fez pensar em algumas críticas que tenho visto, inclusive uma em relação ao Garagem. Ouço muita gente dizer que Juiz de Fora não tem nada de bom, não tem novidade, não se compara a outros lugares e por aí vai. Pera lá! Acho que a cidade tem tanta coisa de qualidade. Alguns exemplos:
  • Tem o Garagem com uma cozinha super bacana e que se reinventa a cada dia;
  • Tem o Timboo com um serviço exemplar de cervejas especiais;
  • Tem a Sorveteria Bom Clima com um sorvete sensacional de quindim;
  • Tem a feira de produtores rurais da região (Agrofar) com o melhor fubá da roça e verduras e ervas não convencionais (outra dia tinha até jambu);
  • Tem a Basílico Massas com molhos e massas artesanais práticos e bem feitos;
  • Tem o mercadinho Bom Preço que traz frango caipira fresquinho;
  • Tem o Angicárius com o cultivo de cogumelos orgânicos;
  • Tem a Dona Solange que faz uma coalhada artesanal muito boa;
  • Tem a padaria da esquina que prepara um bolo caseiro daqueles simples, mas com uma caldinha de goiabada linda de viver.
Enfim, tem muita coisa boa e poderia ter ainda mais se as pessoas valorizassem e reconhecessem a importância do produto da cidade. Esse ciclo de inovação/qualidade/cultura/preço justo/satisfação do cliente só funciona se todas as partes estão comprometidas. Não adianta ter muita gente fazendo um ótimo trabalho se não tem pessoas para desfrutar.

Fiquei fora de Juiz de Fora por cinco anos e, quando retornei, fiquei surpreendida com a evolução da gastronomia na cidade. Achei que ia sentir falta de lugares bons e me enganei. Aqui tem muito potencial para ser explorado, ou melhor, degustado. Basta apenas que as pessoas se proponham a isso. Garanto que a conta vai ficar mais barata do que procurar por opções de fora ou, até mesmo, algumas da cidade que estão cobrando um horror por filé com fritas.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Docinhos mágicos


Sou daquelas que troca cinquenta bombons com ouro comestível, florzinha de pasta americana e corante por um cajuzinho. Gosto dos tradicionais, dos sabores simples e verdadeiros. Aqueles docinhos honestos, que não tem gosto de produtos industrializados, mas que traduzem carinho em forma de bolinhas.

Gosto também das mãos por trás deles. Pessoas que não deixam essas receitas se perderem, criam outras e valorizam o artesanal. Eis que surgem os Docinhos Mágicos da Lylli Paper, marca recém-lançada por uma querida amiga. Tudo é feito artesanalmente e com um cuidado extremo para alegrar sua alma. Já provei os seguintes sabores: brigadeiro de paçoca, canela, coockie de morango (que me deixou desmaiada de amor), óreo, e os docinhos de leite ninho, beijinho e, minha paixão maior da vida, cajuzinho. As opções são diversas e o preço bem camarada, viu?

A Lylli Paper também faz projetos customizados para diversos eventos como aniversário, casamento, chá de panela, batizado e outros. Eles cuidam da personalização de papelaria e outros mimos para deixar sua festa linda. #ficaadica

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Focaccia é vida!


Comida simples me faz tão feliz. Nada de sabores complexos, muitos ingredientes e técnicas mil são necessários para deixar aquilo divino. É o caso de hoje: focaccia. O tradicional pão italiano é uma paixão pessoal, puro, simples e regado a azeite. Preciso confessar que ter êxito com esse prato não foi nada simples... haha! Essa foi minha quarta – e melhor – tentativa. Cheguei bem perto do resultado que quero, mas ainda preciso aperfeiçoar. Descobri que o pulo do gato se chama braço, tem que ter disposição e muito amor para trabalhar a massa. Mas, garanto, vale à pena. Vamos à receitinha!

Ingredientes:
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água morna
3 colheres de azeite
10 gramas de fermento biológico seco
1 pitada de sal
1 pitada de açúcar

Modo de preparo:
Faça um vulcão com a farinha e salpique por cima o fermento, açúcar e sal. No meio, coloque o azeite e, aos poucos, a água. Vá agregando a farinha até formar uma bola de massa. Agora é a hora de ter disposição e amor, pois você precisa sovar a massa (delicadamente!) por cerca de 20 minutos. Quando a massa estiver bem lisinha, deixe descansar por 30 minutos. Abra em um tabuleiro, untado com azeite, deixando a massa mais grossinha, tipo 2 cm de altura. Afunde a massa com os dedos e coloque a cobertura que gostar. A tradicional é com sal grosso e alecrim. Nessa da foto, usei também tomatinho e cebola roxa. O que não pode faltar é uma generosa regada de azeite e uma pitada de sal grosso (eu usei flor de sal) em cima da massa. Deixe a massa descansar por mais 10 minutinhos e leve ao formo pré-aquecido a 200o. Asse por 30 minutos ou até dourar, dependendo do forno. Pronto, seja feliz! :)

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Bolovo


Depois de muita promessa, saiu Bolovo da minha cozinha! Marido ficou quase mais feliz do que o dia em que o Vasco ganha o jogo. A receita é com ingredientes simples, mas o preparo é meio chatinho. Talvez porque foi a primeira vez, nas próximas já terei mais prática. Mas, independente disso, vale muito à pena. Vamos à receita de felicidade!

Ingredientes:
4 ovos cozidos
400 gramas de carne moída
½ cebola picadinha
½ pimenta dedo de moça
Sal à gosto
Cheiro verde à gosto
1 ovo batido
Farinha de trigo e de rosca para empanar
Óleo para fritar

Modo de preparo:
Cozinhe os ovos (já em temperatura ambiente) por 8 minutos e transfira para uma água com gelo, assim irá interromper o cozimento. Descasque com muito cuidado, para manter o formato. Tempere a carne com a cebola, pimenta, sal e cheiro verde. Cubra o ovo com a carne e feche com bastante cuidado, para cobrir todas as partes. Passe os bolovos na farinha de trigo, depois no ovo batido e, por fim, na farinha de rosca. Coloque para fritar em óleo quente até dourar. Eu gosto da gema mais molinha e da carne ao ponto, mas se você quiser pode finalizar os bolovos por 3 minutos no forno.

Feito tudo isso, é só abrir a cerveja gelada e correr para o abraço! \o/

domingo, 27 de março de 2016

Pudim de coco


Dia de pudim é alegria pura, seja do sabor que for. A receita de hoje saiu da despensa, foi tomando forma e o resultado ficou sensacional. Então, preciso escrevê-la aqui no blog para não esquecer quando quiser repetir a façanha. Vamos lá que é coisa linda de viver!

Ingredientes:
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
1 garrafinha de leite de coco
4 ovos
3 colheres de leite em pó
80 gramas de coco
1 1/2 xícara de açúcar
½ xícara de água

Modo de preparo:
Comece pela calda, derretendo o açúcar em fogo baixo. Quando estiver caramelizado, adicione a água até a calda ficar em ponto de fio. Adicione metade do coco ralado e despeje na forma de pudim. No liquidificador, bata os outros ingredientes até ficar bem homogêneo. Despeje na forma e leve para assar em banho Maria por cerca de 40 minutos. Para verificar se o pudim está pronto, enfie uma faca e ela precisa sair limpinha. Deixe esfriar completamente para desenformar.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Feira no Santa Cruz Shopping


Essa semana tem evento especial no Santa Cruz Shopping, daqueles que me deixa numa empolgação total. Será a Feira da Agricultura Familiar, promovida em parceria com a Emater-MG. O evento acontece na sexta-feira, dia 26, e tem como objetivo promover um elo entre os produtores e clientes do shopping.

Confesso que já faz um tempinho a ideia de organizar um evento assim. Minhas andanças por aí, conhecendo produtores rurais (verdadeiros mestres da nossa cultura), me fez perceber a importância de valorizarmos essas mãos, que plantam e produzem o melhor que poderia estar em nossa mesa. Por isso, queria muito trazer isso para dentro do shopping. Além de uma excelente oportunidade de mercado, sinto também como um dever pessoal. 

Meu primeiro contato foi com o produtor Beto, que é presidente da Associação Regional de Produtores Rurais e Feirantes da Agroindústria Familiar de Alimentos (Agrofar). Bastaram cinco minutos de conversa para reconhecer a simplicidade, energia, sabedoria e grandiosidade do campo. Com mais dez minutos, a feira já estava acontecendo. E, a partir dos quinze minutos, foi só prosa cheia de nomes de verduras antigas, receitas e causos de roça. 

A feira irá trazer diversos tipos de produtos: frutas, legumes, verduras, bolos, biscoitos, doces, queijos, mel e tantas outras delícias. É uma ótima oportunidade para levar esses sabores e carinho para sua casa. Mas, também, a chance de conhecer essas pessoas incríveis.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Maçã, passas, canela e amor


Dificilmente um cheiro me deixa mais feliz do que o de bolo no forno. É incrível e ótimo para torturar a vizinhança (rá)! O bolo de hoje é simples, lindo e daqueles que não dá vontade de parar de comer. Leve, úmido, sabor de fruta, pouco doce e cheiroso! Anota aí que a receita é facinha de viver.

Ingredientes:
4 maçãs
1 limão
3 colheres de sopa de açúcar (uso orgânico)
3 ovos
3/4 xícara (chá) de óleo
2 xícaras de chá de açúcar
2 ½ xícaras de chá de farinha de trigo
½ xícara de uvas passas branca
2 colheres de fermento em pó
Açúcar e canela para polvilhar

Modo de preparo:
Corte duas maçãs com casca e coloque no liquidificador. Das outras duas retire as cascas e também coloque no liquidificador e as maçãs pique em cubinhos, adicione o suco de limão e as 3 colheres de açúcar. Deixe reservado. No liquidificador, acrescente os ovos, óleo, o açúcar e bata junto com as maçãs. Coloque em outra vasilha, acrescente a farinha de trigo até ficar homogêneo. Por fim, acrescente a maçã reservadas, as passas e o fermento. Coloque em uma forma untada e enfarinhada, polvilhe açúcar e canela e leve ao forno 180º por cerca de 40 minutos. 

domingo, 24 de janeiro de 2016

Feijoada completa no Birosca


Tem combinação melhor do que sábado, sol, cerveja gelada e feijoada? Foi exatamente isso que fez minha alegria esse final de semana no Birosca. Lugar aconchegante, com boa música (uma pilha de discos que fiquei babando), pessoas sorrindo e um tempero dos bons.

Fiz uma visitinha de beija-flor, porque tinha um compromisso logo depois. Mas, certamente voltarei com tempo e disposição para aproveitar o lugar sem pressa e com muita prosa. E, claro, com uma fome que nem me contem e uma sede de anteontem (beijo, Chico!).

domingo, 17 de janeiro de 2016

Petiscos sem carne


Na última sexta-feira foi dia de receber pessoas especiais em casa e (...) que não comiam carne. Isso pode até parecer um problema inicialmente, mas é coisa fácil de resolver. Afinal, tem tanta coisa gostosa nesse mundo. Preparei vários petiscos sem carne, mas vou dar a receita de três que considero a facilidade em pessoa.

Caponata de Beringela
1 berinjela em cubos + 1 cebola fatiada em meia lua + 4 dentes de alho fatiados + 1 pimentão vermelho em fatias meia lua + 1 pimentão amarelo em fatias meia lua + 100 gramas de uvas passas branca + 100 gramas de amendoim torrado e sem casca + 1 xícara de chá de azeite + sal e pimenta do reino = Coloque todos os ingredientes (com exceção dos temperos) em um tabuleiro e leve ao forno alto. Deixe por 30 minutos, misturando de vez em quando. Retire do forno e tempere.

Tomatinhos confitados
500 gramas de tomatinhos (sweer grape, uva, mini italiano) cortados ao meio + 2 dentes de alho picadinhos + 200 ml de azeite + manjericão fresco à gosto + 1 pitada de sal + 1 pitada de açúcar = Coloque todos os ingredientes em um tabuleiro/assadeira que deixe os tomatinhos em uma única camada, mas não muito espaçados. Leve ao forno alto por cerca de 30 minutos.

Guacamole
1 abacate + 1 tomate maduro sem pele e sem semente, picado em cubinhos + ½ cebola roxa em cubinhos + suco de ½ limão + 1 fio de azeite + ½ pimenta dedo de moça bem picadinha = Retire a polpa do abacate e amasse com o garfo. Acrescente os demais ingredientes e misture bem. 

domingo, 10 de janeiro de 2016

Brindando 2016


2016 começou e meu desejo para esse novo ano é de muitos brindes. Brindes para realizações pessoais, bons projetos de trabalho, família cada dia mais unida e muito amor, para mim e o mundo todo!

O clima gostoso de comemoração, acompanhado do calor único que estamos vivendo, só me faz pensar em espumante, bem geladinho e refrescante. Dias desses tive o prazer de experimentar o lançamento Don Laurindo Brut Rosé. Já conhecia alguns tintos dessa vinícola e confesso que gosto muito da marca. Além de ter qualidade, também tem uma história de valorização do produto e agricultura familiar.

Então imagina a alegria da pessoa quando recebeu o lançamento para experimentar. Foi só o tempo de gelar, colocar Roberta Sá para tocar e ser feliz. O espumante deles é bem assim: leve, bonito, refrescante e de deixar a gente com sorriso no rosto. Como espero que seja nosso 2016!