segunda-feira, 7 de abril de 2014

Bom te ver

Foto: Fan page Bom te ver
Estou morando em Juiz de Fora a poucas semanas e já tenho vários assuntos para falar no blog. A cidade está tão mudada e movimentada que, em alguns momentos, nem se parece com aquela que deixei há cinco anos. Interessante que isso está me fazendo refletir sobre o potencial da transformação gastronômica nos lugares. E com tantos novos para conhecer, me apareceu o Bom te ver, um bar e restaurante bem gostoso.

O objetivo da visita era experimentar o rodízio de comida japonesa, o que já me deixa um pouco resistente por não gostar muito desse sistema, mas, felizmente, não era bem assim. Você paga um valor único (R$ 48,00) e escolhe seus pedidos, sem garçons te empurrando comida o tempo todo. Sobre a comida, devo confessar que me surpreendi com a qualidade, em especial do peixe fresco e bem manipulado.

Contudo, o atendimento merece uma atenção do proprietário. Dois únicos garçons para dar conta do restaurante inteiro é impraticável. Além dos pedidos demorarem muito, a cara de poucos amigos dos funcionários (com razão, pois deveriam estar enlouquecidos!) estava de dar dó.

O cardápio teve alguns furos na hora de fazer o pedido, em especial a carta de vinhos. Fiquei toda feliz, pois tinham vários rótulos que me agradava. Pedi o vinho A, mas não tinha. Pedi o vinho B, também não tinha. Pedi o vinho C, da uva X, mas não tinha. Então perguntei o que eles tinham e me trouxeram o vinho C, da uva Y. Lá se foram duas garrafas e quando fomos pedir a terceira garrafa já não tinha mais o mesmo vinho, só tinha o vinho B. Aquele que tinha pedido no começo da conversa e me informaram que estava em falta. Complicado!

Enfim, o lugar tem um visual bacana, tanto na decoração da casa quanto em sua localização, comida de qualidade e sobre o atendimento prefiro acreditar que naquele dia os outros funcionários estavam de cama e não puderam comparecer. Assim, na próxima visita tudo estará funcionando perfeitamente. Ah, faltou falar que estava rolando uma bandinha boa de ouvir, mais um ponto para eles. 

Nenhum comentário: