Pular para o conteúdo principal

Bom te ver

Foto: Fan page Bom te ver
Estou morando em Juiz de Fora a poucas semanas e já tenho vários assuntos para falar no blog. A cidade está tão mudada e movimentada que, em alguns momentos, nem se parece com aquela que deixei há cinco anos. Interessante que isso está me fazendo refletir sobre o potencial da transformação gastronômica nos lugares. E com tantos novos para conhecer, me apareceu o Bom te ver, um bar e restaurante bem gostoso.

O objetivo da visita era experimentar o rodízio de comida japonesa, o que já me deixa um pouco resistente por não gostar muito desse sistema, mas, felizmente, não era bem assim. Você paga um valor único (R$ 48,00) e escolhe seus pedidos, sem garçons te empurrando comida o tempo todo. Sobre a comida, devo confessar que me surpreendi com a qualidade, em especial do peixe fresco e bem manipulado.

Contudo, o atendimento merece uma atenção do proprietário. Dois únicos garçons para dar conta do restaurante inteiro é impraticável. Além dos pedidos demorarem muito, a cara de poucos amigos dos funcionários (com razão, pois deveriam estar enlouquecidos!) estava de dar dó.

O cardápio teve alguns furos na hora de fazer o pedido, em especial a carta de vinhos. Fiquei toda feliz, pois tinham vários rótulos que me agradava. Pedi o vinho A, mas não tinha. Pedi o vinho B, também não tinha. Pedi o vinho C, da uva X, mas não tinha. Então perguntei o que eles tinham e me trouxeram o vinho C, da uva Y. Lá se foram duas garrafas e quando fomos pedir a terceira garrafa já não tinha mais o mesmo vinho, só tinha o vinho B. Aquele que tinha pedido no começo da conversa e me informaram que estava em falta. Complicado!

Enfim, o lugar tem um visual bacana, tanto na decoração da casa quanto em sua localização, comida de qualidade e sobre o atendimento prefiro acreditar que naquele dia os outros funcionários estavam de cama e não puderam comparecer. Assim, na próxima visita tudo estará funcionando perfeitamente. Ah, faltou falar que estava rolando uma bandinha boa de ouvir, mais um ponto para eles. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Petiscos sem carne

Na última sexta-feira foi dia de receber pessoas especiais em casa e (...) que não comiam carne. Isso pode até parecer um problema inicialmente, mas é coisa fácil de resolver. Afinal, tem tanta coisa gostosa nesse mundo. Preparei vários petiscos sem carne, mas vou dar a receita de três que considero a facilidade em pessoa.
Caponata de Beringela 1 berinjela em cubos + 1 cebola fatiada em meia lua + 4 dentes de alho fatiados + 1 pimentão vermelho em fatias meia lua + 1 pimentão amarelo em fatias meia lua + 100 gramas de uvas passas branca + 100 gramas de amendoim torrado e sem casca + 1 xícara de chá de azeite + sal e pimenta do reino = Coloque todos os ingredientes (com exceção dos temperos) em um tabuleiro e leve ao forno alto. Deixe por 30 minutos, misturando de vez em quando. Retire do forno e tempere.
Tomatinhos confitados 500 gramas de tomatinhos (sweer grape, uva, mini italiano) cortados ao meio + 2 dentes de alho picadinhos + 200 ml de azeite + manjericão fresco à gosto + 1 pita…

Receita de bolo #casadinhos

Traduzir amor em comida é uma das melhores coisas da vida. Dá uma sensação boa preparar tudo com muito carinho e depois ver a pessoa degustando a comidinha com esse tempero especial. E uma das coisas que mais faço para agradar os que amo é bolo. De aniversário, gelado ou mesmo aquele simples, bem roceiro. Tudo é motivo para bolo! Ontem ganhei uma goiabada cremosa apetitosa que na mesma hora virou motivo de bolo. Com alguns minutos o tabuleiro já estava no forno, o cheiro tomando conta da casa e o maridinho abrindo aquele sorrisão de quem iria se esbaldar de bolo/amor.
Bolo de goiabada com queijo
Ingredientes: 4 ovos 2 colheres de manteiga ½ xícara de creme de leite 2 xícaras de açúcar 2/3 xícaras de leite 4 xícaras de farinha de trigo 1 colher de chá de fermento biológico 4 colheres de sopa de queijo minas ralado 4 colheres de sopa de goiabada cremosa 1 xícara de leite condensado
Modo de preparo:
Bater em uma batedeira as gemas, manteiga, creme de leite e açúcar até formar um creme. Acr…

Docinhos mágicos

Sou daquelas que troca cinquenta bombons com ouro comestível, florzinha de pasta americana e corante por um cajuzinho. Gosto dos tradicionais, dos sabores simples e verdadeiros. Aqueles docinhos honestos, que não tem gosto de produtos industrializados, mas que traduzem carinho em forma de bolinhas.
Gosto também das mãos por trás deles. Pessoas que não deixam essas receitas se perderem, criam outras e valorizam o artesanal. Eis que surgem os Docinhos Mágicos da Lylli Paper, marca recém-lançada por uma querida amiga. Tudo é feito artesanalmente e com um cuidado extremo para alegrar sua alma. Já provei os seguintes sabores: brigadeiro de paçoca, canela, coockie de morango (que me deixou desmaiada de amor), óreo, e os docinhos de leite ninho, beijinho e, minha paixão maior da vida, cajuzinho. As opções são diversas e o preço bem camarada, viu?
A Lylli Paper também faz projetos customizados para diversos eventos como aniversário, casamento, chá de panela, batizado e outros. Eles cuidam d…