Pular para o conteúdo principal

Um pouco de Juan Carrau

Não sou uma grande conhecedora de vinhos, mas sim uma grande apreciadora desse líquido precioso. Recentemente conhecia os produtos Juan Carrau e uma característica me chamou a atenção: os rótulos de produção orgânica. Para entender melhor essa história, bate um papo com um dos Juan Carrau, que representa 10 gerações.

Qual atuação do Atelier Carrau?
A palavra atelier é utilizada para designar locais onde se trabalha com arte, onde habita a inspiração. Entendemos, assim, que é o termo mais adequado para uma pequena adega, na qual se trabalha para equilibrar a mais alta tecnologia de vinificação, com os processos ancestrais e mais tradicionais para a elaboração de vinhos finos.

Como surgiu a empresa?
A família Carrau trabalha na elaboração de vinhos finos de forma ininterrupta há dez gerações, desde 2 de abril de 1752, tradição iniciada em Vilasar de Mar, perto de Barcelona. Nestes mais de 260 anos de tradição a Familia Carrau tem produzido grandes vinhos na Espanha, Uruguai e Brasil.

Atualmente, como é a estrutura?
A empresa possui vinhedos próprios em Santana de Livramento, fronteira Uruguai / Brasil. Nestes vinhedos são cultivadas as uvas orgânicas. Estamos com um projeto de montar uma adega modelo, dentro dos moldes da condução biodinâmica. Desta forma, poderíamos otimizar alguns processos como o aproveitamento de bagaço de uva em adubos.
  
Qual o carro chefe?
O vinho Velho do Museu foi desde sua primeira safra (42 anos atrás), um produto destacado pela sua qualidade e possui muitos fãs pelo Brasil todo. Este é nosso principal vinho de reserva com grande aceitação.

Como funciona a produção?
O foco de nossa produção é elaborar vinhos de destacada qualidade. Trabalhamos com volumes pequenos, o que permite adotar alguns processos artesanais, como por exemplo a seleção manual dos espelhos das rolhas.

Vocês possuem alguma certificação?
Os vinhos orgânicos já foram certificados pelo IBD (Instituto biodinâmico), porém atualmente estamos trabalhando no desenvolvimento de uma certificação participativa. Procuramos desta forma compartilhar nosso aprendizado e aumentar a massa crítica do segmento.

Como funciona o processo orgânico?
Para produzir um vinho fino orgânico é preciso primeiro ter uvas viniferas orgânicas. Este foi um trabalho que se iniciou em Santana do Livramento a partir de 1994. Em 1997 foi possível concretizar a conversão do vinhedo (de convencional a orgânico), dando lugar ao primeiro vinho Fino Orgânico do País. É importante destacar que, em nossa abordagem, a agricultura orgânica não é um fim por si só, e sim um meio para alcançarmos produtos de melhor qualidade em equilíbrio com o meio ambiente!

Qual harmonização ideal?
A harmonização do vinho é muito importante e, quando bem feita, podemos extrair o máximo do vinho e do prato. Além disto, é muito importante que o entorno, o clima e o ambiente também acompanhem para fazermos de cada taça de vinho um momento único!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Docinhos mágicos

Sou daquelas que troca cinquenta bombons com ouro comestível, florzinha de pasta americana e corante por um cajuzinho. Gosto dos tradicionais, dos sabores simples e verdadeiros. Aqueles docinhos honestos, que não tem gosto de produtos industrializados, mas que traduzem carinho em forma de bolinhas.
Gosto também das mãos por trás deles. Pessoas que não deixam essas receitas se perderem, criam outras e valorizam o artesanal. Eis que surgem os Docinhos Mágicos da Lylli Paper, marca recém-lançada por uma querida amiga. Tudo é feito artesanalmente e com um cuidado extremo para alegrar sua alma. Já provei os seguintes sabores: brigadeiro de paçoca, canela, coockie de morango (que me deixou desmaiada de amor), óreo, e os docinhos de leite ninho, beijinho e, minha paixão maior da vida, cajuzinho. As opções são diversas e o preço bem camarada, viu?
A Lylli Paper também faz projetos customizados para diversos eventos como aniversário, casamento, chá de panela, batizado e outros. Eles cuidam d…

Petiscos sem carne

Na última sexta-feira foi dia de receber pessoas especiais em casa e (...) que não comiam carne. Isso pode até parecer um problema inicialmente, mas é coisa fácil de resolver. Afinal, tem tanta coisa gostosa nesse mundo. Preparei vários petiscos sem carne, mas vou dar a receita de três que considero a facilidade em pessoa.
Caponata de Beringela 1 berinjela em cubos + 1 cebola fatiada em meia lua + 4 dentes de alho fatiados + 1 pimentão vermelho em fatias meia lua + 1 pimentão amarelo em fatias meia lua + 100 gramas de uvas passas branca + 100 gramas de amendoim torrado e sem casca + 1 xícara de chá de azeite + sal e pimenta do reino = Coloque todos os ingredientes (com exceção dos temperos) em um tabuleiro e leve ao forno alto. Deixe por 30 minutos, misturando de vez em quando. Retire do forno e tempere.
Tomatinhos confitados 500 gramas de tomatinhos (sweer grape, uva, mini italiano) cortados ao meio + 2 dentes de alho picadinhos + 200 ml de azeite + manjericão fresco à gosto + 1 pita…

Receita de bolo #casadinhos

Traduzir amor em comida é uma das melhores coisas da vida. Dá uma sensação boa preparar tudo com muito carinho e depois ver a pessoa degustando a comidinha com esse tempero especial. E uma das coisas que mais faço para agradar os que amo é bolo. De aniversário, gelado ou mesmo aquele simples, bem roceiro. Tudo é motivo para bolo! Ontem ganhei uma goiabada cremosa apetitosa que na mesma hora virou motivo de bolo. Com alguns minutos o tabuleiro já estava no forno, o cheiro tomando conta da casa e o maridinho abrindo aquele sorrisão de quem iria se esbaldar de bolo/amor.
Bolo de goiabada com queijo
Ingredientes: 4 ovos 2 colheres de manteiga ½ xícara de creme de leite 2 xícaras de açúcar 2/3 xícaras de leite 4 xícaras de farinha de trigo 1 colher de chá de fermento biológico 4 colheres de sopa de queijo minas ralado 4 colheres de sopa de goiabada cremosa 1 xícara de leite condensado
Modo de preparo:
Bater em uma batedeira as gemas, manteiga, creme de leite e açúcar até formar um creme. Acr…